Pessoas unindo as mãos no centro de um círculo

Como colaboradores de Deus

21/07/2022
Por Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


2 Coríntios 6:1-13

Como colaboradores de Deus, instamos vocês ao recebimento dessa graça e a fazerem algo com ela porque ele diz:

No tempo aceitável, eu os ouvi; no dia da Salvação, eu os ajudei.”

Esforçamo-nos para não por obstáculos no caminho de ninguém, para que nenhuma pessoa ache faltoso o trabalho que realizamos. Ao contrário, tentamos recomendar a nós mesmos de todas as formas como trabalhadores de Deus, por meio do que passamos de forma contínua: problemas, dificuldades, calamidades, espancamentos, aprisionamentos, tumultos, excesso de trabalho, falta de descanso e de alimentos.

Recomendamo-nos por nossa pureza, pelo conhecimento, pela paciência e bondade proveniente do Ruach HaKodesh; pelo caráter genuíno do nosso amor e a veracidade de nossas declarações; pelo poder de Deus. Recomendamo-nos pelo uso correto das armas da justiça, pela divulgação da nossa causa ou da sua defesa; pelo fato de sermos honrados e desrespeitados, elogiados e acusados, considerados enganadores e sinceros, desconhecidos e famosos.

Recomendamo-nos como trabalhadores de Deus condenados à morte! Mas observem: estamos vivos! Punidos, mas não mortos; temos razão para nos entristecemos; contudo, sempre estamos cheios de jubilo; somos pobres, mas enriquecemos a muitos; nada possuímos, mas temos tudo!

Queridos amigos de Corinto! Falamos de forma franca com vocês, abrindo o coração. Qualquer embaraço que sintam não foi imposto por nós, mas pelo “ser” interior de vocês. Por isso, para sermos “justos”, (faço uso da linguagem infantil) abram vocês também o coração.

Shaul estava comentando com a comunidade de Corinto a respeito do seu ministério e das pessoas com quem ele convivia no ministério, mostrando que, ao falar de Yeshua, ele estava tendo experiências que não tinha antes, quando era uma pessoa reconhecida pelo sinédrio.

Quando era reconhecido pelo sinédrio, Shaul era elogiado, quando pedia alguma coisa, as pessoas davam e ele tinha autoridade até para prender pessoas fora do caminho, fora de Israel.

Mas depois que ele começou a falar de Yeshua tudo mudou completamente.

Ele já não era mais uma pessoa respeitada, pelo contrário, era uma pessoa que muitos queriam agredir e ele começou a comentar sobre essa situação, e em como ele aceitava tudo isso de bom grado, porque ele não estava atrás de reconhecimento ou de retorno financeiro.

Nós sabemos que muitos no meio religioso de Israel buscavam essas coisas: fama, reconhecimento, retorno financeiro, serem bem vistos pelos governantes romanos, serem bem vistos pelo povo, respeitados. Eles corriam atrás dessas coisas.

Mas Shaul deixou tudo isso de lado e seguiu um caminho exatamente ao contrário disto, a ponto de ele dizer que estava disposto até mesmo passar fome e ter momentos de fartura.

E realmente nós sabemos que Shaul nunca foi uma pessoa rica, ele teve condições, Deus o proveu quando foi necessário, quando estava em Roma pode até ter uma casa alugada enquanto aguardava julgamento. Mas tudo isso foi provisão do Eterno.

Houveram momentos que ele tinha fartura, e outros que ele passava dificuldades, as vezes honrado as vezes agredido. E tudo consequência do ministério, não somente dele, porque ele não foi o único que passou por isto, mas essa situação era algo que dava motivos para ele se sentir bem, porque ele sabia que estava fazendo para seu Deus.

Não são todas as pessoas que tem que passar por isso, nem foram naquela época, não foram todos os messiânicos que passaram por todas essas dificuldades que Shaul passou. Tiveram outros tipo de problemas, mas não os mesmos e isso vem acontecendo até os dias de hoje.

Nos evangelhos vemos o caso de Nicodemos, por exemplo.

Ele fazia parte da sociedade de Israel, era rico e, após a morte de Yeshua, continuou sendo rico, e não é por isso que ele deixou de seguir Yeshua.

Ou seja, pessoas que servem a Deus não necessariamente vão passar por tudo que Shaul passou.

Porém muitos podem até passar perseguições, humilhações e nós sabemos que algumas pessoas, mesmo que sejam do nosso meio, acabam cedendo para as tentações e querem promoção pessoal ou reconhecimento.

Mas quem é fiel a Deus mesmo, quer ser visto como servo de Deus, fiel, dedicado, uma pessoa que realmente tem bom testemunho.

O nosso testemunho fala muito mais alto do que as nossas palavras.

O mais importante é que nós tenhamos convicções de que nos servimos a Deus com fidelidade e não importa o que aconteça, se estamos vivendo bem ou se passarmos lutas e provações por causa da nossa fé, por nossa confiança no nosso Deus, em nosso Salvador.

Se um dia vier algum tipo de perseguição e nós tivermos que deixar tudo para trás, vamos escolher:

Ou Yeshua e a salvação, ou acatar ao mundo e não sermos salvos.

Nós vamos ter que eventualmente escolher, espero que não aconteça tão cedo, mas haverá um dia em que isso acontecerá.

A Bíblia diz que haverá tempo de grandes provações, então nós temos que estar preparados, estar convictos.

Kefa disse que nós temos que estar preparados para responder quando alguém questionar a razão da nossa fé (1 Kefa 3:15).

Precisamos ter convicção do que cremos e nunca, nunca, esconder que conhecemos e que nós temos Yeshua na nossa vida. Não vamos nunca deixar de admitir para qualquer pessoa no que nós cremos.

Nossa convicção e nosso testemunho tem que ser muito claros sobre isso, nós não podemos esconder que servimos a Yeshua, nem nunca negar que o servimos, não importa o que aconteça, mesmo se corrermos ameaças.

Importa que realmente nós precisamos ter pronto no nosso coração, para sair de nossa boca um testemunho que não temos receios, nem que aconteça o que aconteceu Estêvão (Atos 6:8).

Ele viu a glória de Deus, falou que viu a Glória de Deus e não negou, e isso custou a sua vida, mas não custou a sua vida de verdade porque ele a ganhou, foi mais rápido para o Reino de Deus e foi feliz.

Em compensação Shaul teve que enfrentar tantas coisas, assistiu seu apedrejamento, teve que suportar muitas coisas que Estêvão não precisou.

Temos que ter convicção da salvação, daquilo que nós fazemos, do que falamos, testificamos, não importa se as pessoas vão acreditar ou não.

Nós nunca sabemos qual vai ser a reação de uma pessoa que vai ouvir nossa mensagem, nosso testemunho, mas podemos nos surpreender, afinal quantos ficaram surpresos quando souberam que Shaul se converteu.

Então te convido a falar sobre Yeshua, porque será maravilhoso ver o resultado de uma pessoa que venha crer nele por causa de nosso testemunho. E não nos preocupemos, vamos simplesmente ser fiéis a Deus. Shaul estava dizendo isso para a comunidade de Corinto.

Vamos ser realmente pessoas dedicadas e dispostas a dar um testemunho de que somos filhos de Deus.

Que o Espírito de Deus dê confiança, coragem, condições e firmeza para que todos nós possamos resistir a qualquer problema e jamais questionar a nossa salvação através de Yeshua.

Escrito por

Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Compartilhe:


Leia também:

O perdão em duas vias

Vai um cookie aí?

Nós utilizamos cookies para aprimorar a sua experiência em nosso site. Ao fechar este banner ou continuar na página, você concorda com o uso de cookies.

Saiba Mais