SHAVUOT – PENTECOSTE

27/05/2020
Por Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Shavuot - Pentecoste

Esta é a festa das semanas, ou seja, 7 semanas desde a festa dos pães asmos (matsá).

Primariamente é uma festa de teor agrícola, “Também guardarás a festa das semanas, que é a festa das primícias da sega do trigo, ... Êxodo 34:22”, onde o reconhecimento da provisão do Eterno é o tema.

O procedimento bíblico era o de levar o início da colheita como oferta no altar, onde proveria de alimento aos sacerdotes e a parte queimada seria de adoração ao Criador.

Esta festa não tem um ritual definido ou orações específicas, exceto aquelas relacionadas às ofertas no templo.

Dentre as tradições e costumes mais relevantes, destacamos as seguintes;

1- A contagem do ômer; o ômer era uma antiga unidade de medida de cereais, atribui-se esse termo na contagem dos 49 dias antes do início da festa.

2- A associação com a sega do trigo, motivou os judeus antigos a adotarem a tradição de se realizar a leitura da meguilá (rolo) de Ruth.

3- Decora-se as casas e as sinagogas com plantas de folhagens verdes.

4- Tradicionalmente dá-se também importância nesta data ao entendimento de que foi quando o Eterno entregou a Torá ao povo judeu.

Para nós messiânicos, esta festa é ainda mais relevante, pois foi em uma celebração desta que se cumpriu a profecia registrada no livro do profeta Joel e que enfatizado por Yeshua, tornou-se cumprida quando os discípulos experimentaram em si mesmos uma nova manifestação do Ruach HaKodesh, que a partir de então passou a caracterizar o ministério dos messiânicos após a subida do Messias entre as nuvens.

A profecia de Joel descreve uma manifestação abrangente de poder, envolvendo pessoas das menos qualificadas, considerando os padrões do período na primeira aliança, ou seja, qualquer pessoa, seja jovem ou velha, está apta a receber do Eterno uma capacitação sobrenatural que, incontestavelmente, impulsionou a pregação das Boas Novas por todo o mundo, dando credibilidade às promessas de Yeshua a muitos povos que não tinham nenhuma afinidade com a mensagem messiânica.

Os povos mediterrâneos eram dominados pela cultura religiosa helênica, os bárbaros do norte pelos deuses nórdicos, outros europeus pela religião dos druidas e seus deuses, todos com culturas milenares que sucumbiram ao poder do Ruach manifesto na vida de pessoas comuns, mas cheias do poder divino.

O que mais devemos valorizar?

Por isso podemos nos reunir com a família em casa e celebrarmos esse importante memorial e celebração.

 

- Decore sua casa com plantas, flores e folhagens.

- Prepare uma refeição festiva, temos a liberdade de comermos o que desejarmos (desde que seja kasher), pois é época de fartura em Israel.

- Faça a leitura da meguilá de Ruth completa.

- Ore clamando pela ação do Ruach na sua vida.

- Identifique-se com o poder do Eterno e dê liberdade para o Ruach fazer de você o que Ele quiser.

- Cante e adore ao Criador.

- Coma a refeição até se fartar e dê graças ao Eterno pela provisão.

 

A todos desejo um Hag Shavuot Sameach!

Escrito por

Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Compartilhe:


Leia também:

Seudat Mashiach, uma mitsvá do Messias

Vai um cookie aí?

Nós utilizamos cookies para aprimorar a sua experiência em nosso site. Ao fechar este banner ou continuar na página, você concorda com o uso de cookies.

Saiba Mais