Uma coroa branca sendo segurada por cordões transparentes

Os Reis dos Hebreus - Parte 1

12/06/2022
Por Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Vamos ver neste estudo sobre a vida dos reis dos hebreus, e observar o que ocorreu nas suas vidas, tanto as coisas positivas como as negativas.


Após a morte de Josué (Yehoshua), Israel ficou sem um regente por cerca de trezentos anos, período esse que o Eterno levantou juízes para liderar o povo tanto no caminho da Torá como liderar nas guerras.

O último desses juízes foi Samuel (Shemuel) que era sacerdote (kohem) e profeta.

Os seus filhos tinham o direito de seguirem na função sacerdotal, porém, ficaram arrogantes e corruptos e o povo não queria que após a morte do já ancião Samuel eles liderassem o povo de Israel, e cometeram um grave pecado em não confiar no seu Deus que já os havia livrado tantas vezes.

E disseram-lhe: "Tu já estás idoso, e teus filhos não andam em teus caminhos; escolhe agora um rei para que nos lidere, à semelhança das outras nações".

Quando, porém, disseram: "Dá-nos um rei para que nos lidere", isto desagradou a Samuel; então ele orou ao Senhor.

E o Senhor lhe respondeu: "Atenda a tudo o que o povo está lhe pedindo; não foi a você que rejeitaram; foi a mim que rejeitaram como rei. 1 Samuel 8:5-7


Apesar de ter sido uma escolha que desagradou o próprio Criador, podemos observar que isso fazia parte do seu propósito, pois tudo já estava previsto até mesmo na Torá escrita por Moisés.

Se quando entrarem na terra que o Senhor, o seu Deus, lhes dá, tiverem tomado posse dela, nela tiverem se estabelecido, vocês disserem: "Queremos um rei que nos governe, como têm todas as nações vizinhas", tenham o cuidado de nomear o rei que o Senhor, o seu Deus, escolher. Ele deve vir dentre os seus próprios irmãos israelitas. Não coloquem um estrangeiro como rei, alguém que não seja israelita. Deuteronômio 17:14,15

E aconteceu exatamente como predito.


Samuel fez o que o Eterno o orientou e então recebeu instruções de como proceder;

"Amanhã, por volta desta hora, enviarei a você um homem da terra de Benjamim. Unja-o como líder sobre meu povo Israel; ele libertará o meu povo das mãos dos filisteus. Atentei para o meu povo, pois seu clamor chegou a mim".

Quando Samuel viu Shaul, o Senhor lhe disse: "Este é o homem de quem lhe falei; ele governará o meu povo". 1 Samuel 9:16,17

Se prestarmos atenção, veremos que o Eterno não usou a palavra rei quando o instruiu a ungir esse homem da tribo de Benjamim, mas usa a palavra “naguid”, que não é traduzida como rei.

Então Samuel apanhou um jarro de óleo, derramou-o sobre a cabeça de Saul e o beijou, dizendo: "O Senhor o tem ungido como capitão (líder) da herança dele. 1 Samuel 10:1

De fato, ele começa a sua atividade liderando o exército de Israel para vitórias sobre os seus inimigos.


Quem aclamou Shaul como rei?

E Samuel disse a todos: "Vocês veem o homem que o Senhor escolheu? Não há ninguém como ele entre todo o povo". Então todos gritaram: "Viva o rei! " 1 Samuel 10:24

O povo o aclamou como rei, o povo o escolheu porque ele era grande, forte e venceu batalhas. Ele nos representa, foi o que pensaram.


Conforme a instrução dada a Samuel,

Assim, todo o povo foi a Gilgal e proclamou Shaul como rei na presença do Senhor. Ali ofereceram sacrifícios de comunhão ao Senhor, e Shaul e todos os israelitas se alegraram muito. 1 Samuel 11:15

Samuel estava presente e apoiou tudo o que fizeram, mas disse;

Agora, aqui está o rei que vocês escolheram, aquele que vocês pediram; o Senhor deu um rei a vocês. 1 Samuel 12:13

Lembremos que a unção original não foi para ser rei, mas um “capitão”.


Mas que fique claro...;

Agora não é a época da colheita do trigo? Pedirei ao Senhor que envie trovões e chuva para que vocês reconheçam que fizeram o que o Senhor reprova totalmente, quando pediram um rei".

Então Samuel clamou ao Senhor, e naquele mesmo dia o Senhor enviou trovões e chuva. E assim todo o povo temeu grandemente o Senhor e Samuel.

E todo o povo disse a Samuel: "Ore ao Senhor seu Deus em favor dos seus servos, para que não morramos, pois a todos os nossos pecados acrescentamos o mal de pedir um rei".

Respondeu Samuel: "Não tenham medo. De fato, vocês fizeram todo esse mal, mas não deixem de seguir o Senhor, antes, sirvam o Senhor de todo o coração. 1 Samuel 12:17-20

Entendamos que tudo isso não foi uma exceção, ou uma vontade permissiva como alguns acreditam, não, o Eterno só faz o que Ele quer, Ele é Soberano e não se deixa moldar pela vontade humana, mas faz tudo o que a sua infinita sabedoria projeta como planos para cumprir o seu propósito.

Todavia, se insistirem em fazer o mal, tanto vocês quanto o seu rei serão destruídos". 1 Samuel 12:25

Entenda-se então que a vontade do Criador prevalece.

Saul tinha trinta anos de idade quando começou a reinar, e reinou sobre Israel quarenta e dois anos. 1 Samuel 13:1


Shaul foi então o primeiro rei de Israel, mas todo o alerta acabou acontecendo, o rei prevaricou, e as consequências não tardaram.

pensei: ‘Agora, os filisteus me atacarão em Gilgal, e eu não busquei o Senhor’. Por isso senti-me obrigado a oferecer o holocausto".

Disse Samuel: "Você agiu como tolo, desobedecendo ao mandamento que o Senhor seu Deus lhe deu; se você tivesse obedecido, ele teria estabelecido para sempre o seu reinado sobre Israel.

Mas agora seu reinado não permanecerá; o Senhor procurou um homem segundo o seu coração e o designou líder de seu povo, pois você não obedeceu ao mandamento do Senhor". 1 Samuel 13:12-14

Assim acabou mal a iniciada linhagem real de Shaul, agora quem escolhe o próximo rei é o Eterno e não o povo.

Após o suicídio de Shaul e a morte de Jonatas em combate, David é coroado rei sobre Israel.

Bem antes desse dia Samuel o havia ungido para ser o futuro rei de Israel.

O Senhor disse a Samuel: "Até quando você irá se entristecer por causa de Saul? Eu o rejeitei como rei de Israel. Encha um chifre com óleo e vá a Belém; eu o enviarei a Jessé. Escolhi um de seus filhos para ser rei". 1 Samuel 16:1


David foi um rei muito especial;

Depois de rejeitar Saul, levantou-lhes Davi como rei, sobre quem testemunhou: ‘Encontrei Davi, filho de Jessé, homem segundo o meu coração; ele fará tudo o que for da minha vontade’. Atos 13:22

A despeito de ter tido altos e baixos como qualquer ser humano, ele manteve um saudável ambiente religioso em Israel e o serviço levítico e sacerdotal em alta estima diante do povo.


David reinou quarenta anos e passou o reino para seu filho Salomão.

O rei fez então um juramento: "Juro pelo nome do Senhor, o qual me livrou de todas as adversidades, que sem dúvida hoje mesmo vou executar o que jurei pelo Senhor, o Deus de Israel. O seu filho Salomão me sucederá como rei e se assentará no meu trono em meu lugar". 1 Reis 1:29,30

O Eterno também amou Salomão.

Então consolou Davi a Batseba, sua mulher e entrou a ela, e se deitou com ela: e teve ela um filho, e chamou o seu nome Salomão: e o Senhor o amou. 2 Samuel 12:24


Salomão reinou entre 971 e 931 AEC.

Salomão se destacou pela sua humildade e recebeu do Eterno o dom da sabedoria para governar o povo de Israel.

Depois de o Eterno oferecer a ele, “Peça-me o que quiser, e eu lhe darei". 1 Reis 3:5, eis o que lhe foi concedido;

Dá, pois, ao teu servo um coração cheio de discernimento para governar o teu povo e capaz de distinguir entre o bem e o mal. Pois, quem pode governar este teu grande povo?

O pedido que Salomão fez agradou ao Senhor.

Por isso Deus lhe disse: "Já que você pediu isto e não uma vida longa nem riqueza, nem pediu a morte dos seus inimigos, mas discernimento para ministrar a justiça, farei o que você pediu. Eu lhe darei um coração sábio e capaz de discernir, de modo que nunca houve nem haverá ninguém como você. 1 Reis 3:9-12

Após o episódio do julgamento das duas prostitutas que reivindicavam uma mesma criança, o povo identificou o dom na vida do rei;

Quando todo o Israel ouviu o veredicto do rei, passou a respeitá-lo profundamente, pois viu que a sabedoria de Deus estava nele para fazer justiça. 1 Reis 3:28

Salomão foi muito sábio para governar Israel, durante o seu reinado o território foi o maior de toda a história da nação, foi próspero e viveu em paz por muito tempo, porém, não foi sábio para a sua própria vida.

O rei Salomão amou muitas mulheres estrangeiras, além da filha do faraó. Eram mulheres moabitas, amonitas, edomitas, sidônias e hititas.

Elas eram das nações sobre as quais o Senhor tinha dito aos israelitas: "Vocês não poderão tomar mulheres dentre essas nações, porque elas os farão desviar-se para seguir os seus deuses". No entanto, Salomão apegou-se amorosamente a elas.

Casou com setecentas princesas e trezentas concubinas, e as suas mulheres o levaram a desviar-se.

À medida que Salomão foi envelhecendo, suas mulheres o induziram a voltar-se para outros deuses, e o seu coração já não era totalmente dedicado ao Senhor, o seu Deus, como fora o coração do seu pai Davi. 1 Reis 11:1-4

Esse seu desvio teve um preço;

Então o Senhor disse a Salomão: "Já que essa é a sua atitude e você não obedeceu à minha aliança e aos meus decretos, os quais lhe ordenei, certamente lhe tirarei o reino e o darei a um dos seus servos.

No entanto, por amor a Davi, seu pai, não farei isso enquanto você viver. Eu o tirarei da mão do seu filho.

Mas, não tirarei dele o reino inteiro, eu lhe darei uma tribo por amor de Davi, meu servo, e por amor de Jerusalém, a cidade que escolhi". 1 Reis 11:11-13


Os textos dos livros dos Reis não detalham muito sobre a vida do rei Salomão depois destes episódios, mas o que podemos deduzir sobre o seu final de vida? Ele morreu nos seus pecados ou se arrependeu e foi redimido?


Há evidências de que Salomão seja o autor de Eclesiastes. Ele diz que buscou o sentido da vida em muitas coisas, inclusive na sabedoria, nas construções e em relacionamentos amorosos com muitas mulheres, mas não encontrou. No fim de sua vida, se arrependeu de seus pecados e voltou para o Senhor:

Agora que já se ouviu tudo, aqui está a conclusão: Tema a Deus e guarde os seus mandamentos, pois isso é o essencial para o homem.

Pois Deus trará a julgamento tudo o que foi feito, inclusive tudo o que está escondido, seja bom, seja mal. Eclesiastes 12:13,14

Então, se Salomão se arrependeu e voltou para o Senhor, certamente o Senhor o perdoou e ele foi salvo:

Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça. 1 João 1:9

Mas mesmo que isso seja verdadeiro, as consequências não foram mudadas.


Após a morte de Salomão, assumiu o reinado o seu filho Rehovoam, ou Roboão.

O Eterno havia prometido a Jeroboão (Yaravam) da tribo de Efraim que reinaria sobre dez tribos de Israel,

e Aías segurou firmemente a capa que estava usando e a rasgou em doze pedaços.

Então disse a Jeroboão: "Apanhe dez pedaços para você, pois assim diz o Senhor, o Deus de Israel: ‘Saiba que vou tirar o reino das mãos de Salomão e dar a você dez tribos.

Mas, por amor ao meu servo Davi e à cidade de Jerusalém, a qual escolhi dentre todas as tribos de Israel, ele terá uma tribo. 1 Reis 11:30-32

Um detalhe que pode passar despercebido, é que foram dez tribos para um e uma tribo para outro, são onze, pois a tribo de Levi não ficaria sob posse de nenhum deles, mas transitaria livremente entre eles.


Logo após Roboão assumir o reinado, Jeroboão o procurou em nome do povo de Israel com reinvindicações justas;

"Teu pai colocou sobre nós um jugo pesado, mas agora diminui o trabalho árduo e este jugo pesado, e nós te serviremos".

Roboão respondeu: "Voltem a mim daqui a três dias". Então o povo foi embora.

O rei Roboão perguntou às autoridades que haviam servido ao seu pai Salomão durante a vida dele: "Como vocês me aconselham a responder a este povo? "

Eles responderam: "Se hoje fores um servo desse povo e servi-lo, dando-lhe uma resposta favorável, eles sempre serão teus servos".

Roboão, contudo, rejeitou o conselho que as autoridades de Israel lhe tinham dito e consultou os jovens que haviam crescido com ele e o estavam servindo.

Perguntou-lhes: "Qual é o conselho de vocês? Como devemos responder a este povo que me diz: ‘Diminui o jugo que teu pai colocou sobre nós’? "

Os jovens que haviam crescido com ele responderam: "A este povo que te disse: ‘Teu pai colocou sobre nós um jugo pesado; torna-o mais leve’ — dize: ‘Meu dedo mínimo é mais grosso do que a cintura do meu pai.

Pois bem, meu pai lhes impôs um jugo pesado; eu o tornarei ainda mais pesado. Meu pai os castigou com simples chicotes; eu os castigarei com chicotes pontiagudos’ ". 1 Reis 12:4-11

Com esta resposta, o Eterno cumpriu o prometido e o povo rebelou-se e coroaram Jeroboão como rei de Israel, somente a tribo de Judá permaneceu com o filho de David.

Quando todos os israelitas souberam que Jeroboão tinha voltado, mandaram chamá-lo para a reunião da comunidade e o fizeram rei sobre todo o Israel. Somente a tribo de Judá permaneceu leal à dinastia de Davi. 1 Reis 12:20


Assim foi selada a divisão do povo de Israel;

Desta forma Israel se rebelou contra a dinastia de Davi, e assim permanece até hoje. 1 Reis 12:19

Judá governada pelos descendentes de David e Israel pelos descendentes de Jeroboão.


Roboão não era uma pessoa prudente, mas lhe foi dado o poder de governar a cidade de Jerusalém onde os serviços do templo continuavam, mas Jeroboão não foi sábio e desobedeceu ao Eterno e, com receio de que o povo continuasse a visitar Jerusalém para ir ao templo, fez dois bezerros de ouro e estabeleceu um culto religioso aposto ao desejado pelo Eterno para as tribos de Israel, foi o seu grande erro, pois o Eterno mandou uma mensagem por um profeta;

Por ordem do Senhor um homem de Deus foi de Judá a Betel, quando Jeroboão estava de pé junto ao altar para queimar incenso.

Ele clamou contra o altar, segundo a ordem do Senhor: "Ó altar, ó altar! Assim diz o Senhor: ‘Um filho nascerá na família de Davi e se chamará Josias. Sobre você ele sacrificará os sacerdotes dos altares idólatras que agora queimam incenso aqui, e ossos humanos serão queimados sobre você’ ". 1 Reis 13:1,2

O pecado de Jeroboão trouxe maldição sobre si mesmo e não se arrependeu, mesmo o Eterno tendo falado com ele.

Ele morreu e Nadav (Nadabe) foi o seu sucessor.


Roboão também não foi fiel ao Eterno e permitiu abominações e idolatria em Judá, mesmo tendo o templo no seu reino.


Ambos foram responsáveis pela divisão do reino e ambos falharam diante do Eterno e falharam de forma grave, pois permitiram que o povo se desviasse para deuses estranhos e deixassem a Torá.


Até agora vimos o começo da monarquia em Israel e o surgimento do reino de Judá.

Nesta primeira parte podemos aprender que o homem tem facilidade em se corromper e também tem muita facilidade em se deixar impressionar pela força do homem e confiar na sua força, o que não é um bom negócio.

No próximo estudo daremos continuidade a esta análise sobre os reis dos hebreus.

Escrito por

Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Compartilhe:


Leia também:

OS MESSIÂNICOS SÃO TOLERANTES?

Vai um cookie aí?

Nós utilizamos cookies para aprimorar a sua experiência em nosso site. Ao fechar este banner ou continuar na página, você concorda com o uso de cookies.

Saiba Mais