Close de uma tela de dispositivo eletrônico com as palavras

O que é morrer?

18/11/2021
Por Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Normalmente entende-se que morrer é sinônimo de perder a vida, ou deixar a existência, mas o entendimento disso fica um tanto superficial e relativo dependendo de como é visto por cada pessoa.

Quando pensamos sobre a morte de uma outra pessoa, isso geralmente nos afeta dando um sentimento de perda, pois sabermos que a presença ou o convívio com o que partiu se perde para toda a nossa vida a frente. Sofremos pelo sentimento de ausência permanente, mas isso geralmente tem a ver com a preocupação sobre a nossa vida, como vamos viver sem essa pessoa, é um sentimento sobre o que nós perdemos, não tanto pela pessoa que se foi. Não há quem não seja afetado por esses sentimentos.

Muda bastante o enfoque quando pensamos na morte como uma realidade sobre nós mesmos. Não é algo que nos preocupe com muita frequência, pois todos os dias estamos ocupados com as atividades desta vida, desde o despertar pela manhã até o momento de dormir. Mas esse assunto de vez em quando deve vir à tona, dependendo de algum fato do nosso dia a dia.

Agora, o que acontece quando pensamos sobre a inevitabilidade da nossa própria morte?

Essa pergunta terá uma série de respostas possíveis e várias reações diferentes, dependendo de uma série de fatores que serão os moldadores do nosso entendimento sobre o tema, algumas serão;

1- Medo, muitas pessoas nem gostam de pensar sobre a morte porque não tem resposta para o assunto, é algo misterioso e desconhecido, não sabem com certeza o que os espera depois de partir desta vida, portanto a morte os apavora e nem querem falar sobre o tema.

2- Desprezo, alguns pensam que podem ser fortes e recusam demonstrar que temem a morte tentando até negar que haja existência após a morte, assim não se preocupam se haverá ou não a responsabilidade de terem que prestar contas de seus atos diante de um deus.

3- Incerteza, algumas pessoas até sabem que existirá uma existência pós morte, mas não tem certeza de que estejam preparados para deixar esta vida, mas também não se mexem para mudar a situação.

4- Falsa segurança, algumas pessoas se prendem a certas afirmações ou dogmas defendidos por alguma religião e se fiam naquilo que aceitam como verdade, tentam se segurar nessas propostas, mas na verdade não tem como ter certeza porque a sua própria consciência não os conforta ou dá a segurança que tanto gostariam de ter, quando chega a hora da partida dão um passo no escuro para ver se era mesmo verdade aquilo que aceitaram crer. Algumas pessoas são até capazes de se lançar na morte por crerem que atos de bravura, de fidelidade a um dogma ou a uma condição ensinada por um líder religioso seja o suficiente para garantir uma condição privilegiada no mundo dos mortos, com privilégios e bônus para os que se distinguem em batalhas e matam os seus inimigos morrendo por isso.

5- Sentir-se de fato seguro e confortado de que ao partir será recebido da forma como aprendeu que Deus fará com todos os que nele creem de verdade.

 

Como um messiânico deve se sentir, e quais os fundamentos que realmente nos dão a segurança necessária para não temermos a morte?

 

Primeiro vamos entender o que é a morte segundo o Eterno.

 

Muitos tem entendido que o homem foi criado para viver para sempre e que não conheceria a morte, mas se formos mais atentos ao texto da Torá, veremos que nunca foi dito que o homem viveria para sempre na Terra.
Ué!!! Não foi o pecado que fez o homem morrer?

Vamos entender bem o contexto da palavra em Bereshit;

E disse Deus: "Produza a terra seres vivos de acordo com as suas espécies: rebanhos domésticos, animais selvagens e os demais seres vivos da terra, cada um de acordo com a sua espécie". E assim foi. Gênesis 1:24

Antes do homem, já existia morte na Terra?

Ora! O Criador fez rebanhos herbívoros e predadores para manter o equilíbrio necessário na natureza, não precisamos forçar a interpretação do texto para defender que os animais não morriam, pois isso não muda em nada a maravilha da criação, dizer que os atuais animais carnívoros eram herbívoros na criação não pode ser provado, todos os esqueletos de animais predadores antes do homem já tinham as características de predadores desde o início. “.... E Deus viu que ficou bom. Gênesis 1:25

 

Agora vamos ver especificamente sobre o homem,

... mas não coma da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dela comer, certamente você morrerá". Gênesis 2:17

Arrazoemos, uma única ordenança negativa para obedecer e o casal não obedeceu. Pelo determinado, no dia em que pecasse morreria, mas tudo mostra que não morreu no mesmo dia! Então como fica?

Aí entra o entendimento do que é a morte segundo o Criador;

1- Morte física, o nosso espírito se separa do corpo físico, o corpo não tem mais vida, se decompõe e volta ao pó. No princípio a vida física duraria bastante para o homem encher a Terra, mais de novecentos anos antes do dilúvio, mais de duzentos anos depois do dilúvio e foi diminuindo até ser o que conhecemos de setenta anos conforme o salmo;

Os anos de nossa vida chegam a setenta, ou a oitenta para os que têm mais vigor; entretanto, são anos difíceis e cheios de sofrimento, pois a vida passa depressa, e nós voamos! Salmos 90:10

2- Morte espiritual, o nosso espírito de separa da comunhão com o Criador,

Vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados, Efésios 2:1

Foi o que aconteceu imediatamente após nossos pais comerem o fruto e desobedecerem a ordem divina, diz o texto;

Os olhos dos dois se abriram, e perceberam que estavam nus; então juntaram folhas de figueira para cobrir-se.

Ouvindo o homem e sua mulher os passos do Senhor Deus que andava pelo jardim quando soprava a brisa do dia, esconderam-se da presença do Senhor Deus entre as árvores do jardim. Gênesis 3:7,8

Quando os seus olhos se abriram para saber o que era o mal, entenderam que tinham motivos para ter vergonha da presença de Deus, nunca antes precisaram se esconder da presença divina, mas agora estavam distanciados. Isso é a morte espiritual, a separação de Deus.

 

Entendemos então que a morte física não é o castigo do pecado, tanto que uma vez justificados pelo sacrifício de Yeshua ainda assim morreremos para este mundo.

Quando foi estabelecida a maldição do trabalho físico para podermos comer, foi estipulado que duraria até que nos separássemos do nosso corpo físico.

Com o suor do seu rosto você comerá o seu pão, até que volte à terra, visto que dela foi tirado; porque você é pó e ao pó voltará". Gênesis 3:19

O texto não diz que aqui estava o estabelecimento da morte física.

 

Uma vez que já definimos que tipo de morte é realmente importante, vamos ver mais algumas passagens que nos ajudem a entendermos mais alguma coisa.

 

Shaliach Shaul entendeu algo importante sobre a vida e a morte;

Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De sorte que, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor. Romanos 14:8

Para o messiânico, estar vivo ou deixar esta vida nada significa quanto ao estado de comunhão com o Eterno.

 

Já a situação de quem está afastado da comunhão divina é realmente crítica,

Desviando-se o justo da sua justiça, e cometendo iniquidade, morrerá por ela; na iniquidade, que cometeu, morrerá. Ezequiel 18:26

O pecado pode ser o catalizador da ira do Eterno, quando uma pessoa não se importa em pecar, poderá não somente ficar na condição de morto espiritualmente, como também ter a morte física decretada antes da sua velhice como castigo.

Por exemplo;

Se estes homens tiverem morte natural e experimentarem somente aquilo que normalmente acontece aos homens, então o Senhor não me enviou.

Mas, se o Senhor fizer acontecer algo totalmente novo, e a terra abrir a sua boca e os engolir, junto com tudo o que é deles, e eles descerem vivos ao Sheol, então vocês saberão que estes homens desprezaram o Senhor. Números 16:29,30

Esse é o caso de Corach e seus seguidores que se rebelaram contra Moshe e o Eterno. Todos foram engolidos pela terra de uma só vez.

 

Yeshua deixou claro que as suas palavras teriam o poder da vida ou da morte;

Por isso vos disse que morrereis em vossos pecados, porque se não crerdes que eu sou, morrereis em vossos pecados. João 8:24

Mesmo que algumas vezes o Messias tenha vencido a morte física ao ressuscitar algumas pessoas, elas voltaram na mesma condição de vida física que tinham anteriormente, e voltaram a morrer quando envelheceram, mas os que creram em suas palavras garantiram vida espiritual enquanto ainda viviam na Terra, e continuariam vivas quando passassem para a condição de mortos neste mundo.

 

Usando uma ilustração interessante, Yeshua mostrou claramente a diferenças entre as mortes;

E aconteceu que o mendigo morreu, e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; e morreu também o rico, e foi sepultado. Lucas 16:22

Ele descreve que duas pessoas que viveram de forma diferente quanto à sua fé nesta vida, morreram fisicamente, mas o resultado depois é que fez a grande diferença entre eles.

 

É interessante o quanto a questão da morte de Yeshua também fica bem esclarecida quando se trata do valor que a sua morte tem para que tenhamos vida.

Porque o amor do Messias nos constrange, julgando nós assim: que, se um morreu por todos, logo todos morreram. 2 Coríntios 5:14

O Messias não morreu para que nós não morrêssemos fisicamente, Ele morreu para que tivéssemos vida eterna.

Palavra fiel é esta: que, se morrermos com ele, também com ele viveremos; 2 Timóteo 2:11

 

Considerando que o shaliach Shaul era muito versado na Torá, não foi dela que ele tirou este entendimento, mas sim por inspiração do Eterno para entender em profundidade como é a nossa existência.

Sabemos que, se for destruída a temporária habitação terrena em que vivemos, temos da parte de Deus um edifício, uma casa eterna no céu, não construída por mãos humanas.

Enquanto isso, gememos, desejando ser revestidos da nossa habitação celestial, porque, estando vestidos, não seremos encontrados nus.

Pois, enquanto estamos nesta casa, gememos e nos angustiamos, porque não queremos ser despidos, mas revestidos da nossa habitação celestial, para que aquilo que é mortal seja absorvido pela vida.

Foi Deus que nos preparou para esse propósito, dando-nos o Espírito como garantia do que está por vir. 2 Coríntios 5:1-5

Nós somos de fato um espírito que por hora habita um corpo material temporário para nossa morada terrena, mas que almejamos trocá-lo por uma habitação celestial, ou um corpo espiritual, conforme o shaliach declara em;

Assim será com a ressurreição dos mortos. O corpo que é semeado é perecível e ressuscita imperecível; é semeado em desonra e ressuscita em glória; é semeado em fraqueza e ressuscita em poder; é semeado um corpo natural e ressuscita um corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual. 1 Coríntios 15:42-44

 

A morte de Yeshua não tem sido bem valorizada por muitos, fala-se muito sobre as suas curas, sobre vitórias financeiras, livramento de problemas, mas o mais importante está pouco em evidência;

E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. 2 Coríntios 5:15

A ressurreição é a declaração da vitória do Messias sobre a morte.

Ora, se morremos com o Messias, cremos que também com ele viveremos. Romanos 6:8

 

Haverá um dia em que a morte física alcançará a todos os habitantes da Terra de uma só vez, e não haverá sobreviventes, neste ponto todos saberão o que significa ter vida eterna;

Depois vi um grande trono branco e aquele que nele estava assentado. A terra e o céu fugiram da sua presença, e não se encontrou lugar para eles.

Vi também os mortos, grandes e pequenos, de pé diante do trono, e livros foram abertos. Outro livro foi aberto, o livro da vida. Os mortos foram julgados de acordo com o que tinham feito, segundo o que estava registrado nos livros.

O mar entregou os mortos que nele havia, e a morte e o Sheol entregaram os mortos que neles havia; e cada um foi julgado de acordo com o que tinha feito.

Então a morte e o Sheol foram lançados no lago de fogo. O lago de fogo é a segunda morte.

Se o nome de alguém não foi encontrado no livro da vida, este foi lançado no lago de fogo. Apocalipse 20:11-15

Nesta passagem todos são tratados como mortos porque não estavam relacionados no livro da vida.

 

Em compensação, os vivos terão outro tratamento.

Felizes os que lavam as suas vestes, para que tenham direito à árvore da vida e possam entrar na cidade pelas portas. Apocalipse 22:14

 

Qualquer coisa a mais que se queira falar será especulativo, portanto, é o que basta sabermos que se estamos vivos pelo sangue de Yeshua, viveremos com Ele para sempre.

Escrito por

Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Compartilhe:


Leia também:

O quão messiânico você é?

Vai um cookie aí?

Nós utilizamos cookies para aprimorar a sua experiência em nosso site. Ao fechar este banner ou continuar na página, você concorda com o uso de cookies.

Saiba Mais