Um livro com escritos em hebraico aberto

Isaías 53

05/07/2022
Por Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Um dos textos mais importantes para um judeu conhecer é justamente o capítulo 53 do livro de Isaías, porque é nele que encontramos a profecia mais detalhada sobre o ministério e obra do nosso Messias.

Nesse texto encontramos muitas revelações que os não messiânicos não gostam de considerar, mas como a palavra do profeta Isaías é uma revelação recebida do Eterno, o seu conteúdo não está sujeito à nossa opinião.

Isaías identificou-se apenas como “Isaías, filho de Amots” (Is 1.1). Existem outras doze referências como esta, inclusive três no Segundo Livro dos Reis e no Segundo Livro das Crônicas. Amots nunca é identificado, descrito, ou mencionado separadamente dessa afirmação.


Vamos então para o capítulo 53.

Quando lemos este capítulo a impressão que dá é que parece que Isaías estava vivendo na época do Messias e a impressão é que ele acompanhou a vida de Yeshua passo a passo;

Quem creu em nossa mensagem e a quem foi revelado o braço do Eterno? Isaías 53:1

Quando lemos as bessorot (evangelhos), fica bem claro que a rejeição à mensagem de Yeshua e consequentemente à mensagem de Isaías era bastante frequente, disso depreendemos que a aceitação dessa mensagem dependia da revelação divina aos de coração aberto para isso.

Por exemplo;

Todos falavam bem dele, e estavam admirados com as palavras de graça que saíam de seus lábios. Mas perguntavam: "Não é este o filho de José? "

Yeshua lhes disse: "É claro que vocês me citarão este provérbio: ‘Médico, cura-te a ti mesmo!’ Faze aqui em tua terra o que ouvimos que fizeste em Cafarnaum".

Continuou ele: "Digo-lhes a verdade: Nenhum profeta é aceito em sua terra. Lucas 4:22-24

Todos os que estavam na sinagoga ficaram furiosos quando ouviram isso. Lucas 4:28


Na próxima passagem ele já descreve a aparência física de Yeshua, não se atendo a defeitos físicos ou dotes do seu corpo, mas ao seu parecer comum;

Ele cresceu diante dele como um broto tenro, e como uma raiz saída de uma terra seca. Ele não tinha qualquer beleza ou majestade que nos atraísse, nada em sua aparência para que o desejássemos.

Foi desprezado e rejeitado pelos homens, um homem de tristeza e familiarizado com o sofrimento. Como alguém de quem os homens escondem o rosto, foi desprezado, e nós não o tínhamos em estima. Isaías 53:2,3

A sua aparência não chamava a atenção, não significando também que fosse feio ou repulsivo, simplesmente que era comum, bem como o seu porte não era altivo como um nobre, assim não despertava nas pessoas intenção de bajulação, bem diferente da aparência retratada nos quadros medievais e imagens com influência europeia, pois se fosse como o retratam como tendo uma pele alva, cabelos cuidados por mãos hábeis e olhos azuis, sem dúvida chamaria a atenção.

Ou seja, enquanto não falasse ninguém prestaria atenção nele.

Finalmente, os guardas do templo voltaram aos chefes dos sacerdotes e aos fariseus, os quais lhes perguntaram: "Por que vocês não o trouxeram?"

"Ninguém jamais falou da maneira como esse homem fala", declararam os guardas.

"Será que vocês também foram enganados?", perguntaram os fariseus.

"Por acaso alguém das autoridades ou dos fariseus creu nele? João 7:45-48


Tanto em sua época, como nos dias de hoje, muitas pessoas viam nele aquele que curava os doentes, que se importava com o sofrimento alheio e curava muitos;

Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças, contudo nós o consideramos castigado por Deus, por ele atingido e afligido. Isaías 53:4

Mas quando viram o que Ele passou na mão dos Romanos no que diz respeito ao seu sofrimento físico e emocional, as descrições mostram que multidões sentiam dó, como hoje muitos ficam com dó das imagens do Messias sofredor, alguns até indagando sobre o porquê de tanta crueldade sem entenderem a verdade de tudo isso.

Yeshua retirou-se com os seus discípulos para o mar, e uma grande multidão vinda da Galileia o seguia.
Quando ouviram a respeito de tudo o que ele estava fazendo, muitas pessoas procedentes da Judéia, de Jerusalém, da Idumeia e das regiões do outro lado do Jordão e dos arredores de Tiro e de Sidom foram atrás dele.
Marcos 3:7,8


Mas a palavra do profeta deixa tudo claro;

Mas ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniquidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados.

Todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um de nós se voltou para o seu próprio caminho; e o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós. Isaías 53:5,6

Agora fica tudo mais claro, todo esse sofrimento infligido a Yeshua foi por nossa causa, por nossa culpa.

Não porque de alguma forma nós causamos um acidente ou incitação provocada para que Ele fosse atingido, mas porque Ele entregou-se a si mesmo para prover o que nós precisamos.

Muitos séculos antes da vinda do Messias o profeta já recebeu a resposta, não há um texto na Torá que seja mais claro do que este ao descrever como conseguimos a nossa redenção.

As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem.

Eu lhes dou a vida eterna, e elas jamais perecerão; ninguém as poderá arrancar da minha mão. João 10:27,28


Se fosse algo não previsto ou realmente injusto Ele reagiria, mas;

Ele foi oprimido e afligido, contudo, não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado para o matadouro, e como uma ovelha que diante de seus tosquiadores fica calada, ele não abriu a sua boca. Isaías 53:7

Ele estava passivo porque tudo estava perfeitamente em ordem com o plano previamente estabelecido, a justiça divina estava sendo implementada.

Quando Herodes viu Yeshua, ficou muito alegre, porque havia muito tempo queria vê-lo. Pelo que ouvira falar dele, esperava vê-lo realizar algum milagre.

Interrogou-o com muitas perguntas, mas Yeshua não lhe deu resposta. Lucas 23:8,9


Como se Isaías estivesse assistindo ele viu a forma como foi levado ao sinédrio para ser julgado, como foi ofendido, agredido, afrontado e finalmente condenado com falsas acusações;

Com julgamento opressivo ele foi levado. E quem pode falar dos seus descendentes? Pois ele foi eliminado da terra dos viventes; por causa da transgressão do meu povo ele foi golpeado. Isaías 53:8

Yeshua poderia ter constituído família?

Não haveria nenhum impedimento pela torá, mas o propósito do Eterno era que Ele fosse tirado da Terra com não muita idade, Ele não deixou descendentes como alegam algumas seitas, mas por causa do pecado dos hebreus foi assassinado, pois se o tivessem recebido como Messias e rei da linhagem de David Ele não seria executado, mas não era esse o plano.

Então, os soldados do governador levaram Yeshua ao Pretório e reuniram toda a tropa ao seu redor.

Tiraram-lhe as vestes e puseram nele um manto vermelho;

fizeram uma coroa de espinhos e a colocaram em sua cabeça. Puseram uma vara em sua mão direita e, ajoelhando-se diante dele, zombavam: "Salve, rei dos judeus! "

Cuspiram nele e, tirando-lhe a vara, batiam-lhe com ela na cabeça.

Depois de terem zombado dele, tiraram-lhe o manto e vestiram-lhe suas próprias roupas. Então o levaram para crucificá-lo. Mateus 27:27-31


A despeito de ser inocente Ele foi executado, e apesar da sua origem humana simples de um habitante de uma inexpressiva vila do interior da Galileia, Ele recebeu um tratamento diferenciado;

Foi-lhe dado um túmulo com os ímpios, e com os ricos em sua morte, embora não tivesse cometido qualquer violência nem houvesse qualquer mentira em sua boca. Isaías 53:9

Um homem rico cedeu o seu túmulo escavado na pedra muito caro, e a entrada foi guardada por guardas romanos que foram depois subornados.

Ao cair da tarde chegou um homem rico, de Arimateia, chamado José, que se tornara discípulo de Yeshua.

Dirigindo-se a Pilatos, pediu o corpo de Yeshua, e Pilatos ordenou que lhe fosse entregue.

José tomou o corpo, envolveu-o num limpo lençol de linho e o colocou num sepulcro novo, que ele havia mandado cavar na rocha. E, fazendo rolar uma grande pedra sobre a entrada do sepulcro, retirou-se. Mateus 27:57-60


Agora vemos uma revelação muito importante. Enquanto os ímpios querem contradizer a Torá alegando que o Eterno não aceita sacrifício de homens sem entender a mente do Eterno, aqui está muito claro que não somente Ele aceita, como foi Ele mesmo quem providenciou esse sacrifício.

Contudo foi da vontade do Senhor esmagá-lo e fazê-lo sofrer, e, embora o Senhor faça da vida dele uma oferta pela culpa, ele verá sua prole e prolongará seus dias, e a vontade do Senhor prosperará em sua mão. Isaías 53:10

O Messias, sendo parte do Eterno, habitou um corpo gerado especialmente para cumprir esse propósito e assim podemos objetar os que questionam a morte de Yeshua alegando que Deus não morre.

Em um aspecto é verdade que Deus não morre, afinal Ele é espírito, por isso foi necessário que tomasse um corpo humano mortal para que tudo pudesse ser cumprido conforme tudo o que foi predito pelos profetas. Esse corpo mortal que recebeu o nome de Yeshua foi sacrificado no madeiro e derramou o seu sangue até a última gota.

Conforme a sua promessa de estar conosco todos os dias até a consumação dos séculos e a descrição dos textos do Brit Chadashá que mostram que Yeshua continua presente e ativo, ele acompanha a sua descendência, ou seja, seus filhos nascidos de novo até o fim dos tempos.

Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos". Mateus 28:19,20


Existem argumentos levantados por alguns religiosos que visam distorcer a verdade escrita neste texto, alegando que o objeto da oração não seria um homem ou o Messias, mas a nação de Israel.

Depois do sofrimento de sua alma, ele verá a luz e ficará satisfeito; pelo seu conhecimento meu servo justo justificará a muitos, e levará a iniquidade deles. Isaías 53:11

Tal argumento carece de uma mínima lógica ou racionalidade de interpretação de texto, pois uma nação não sofre pelo seu povo, e Israel nunca poderia ser o abjeto do texto.

"Portanto, meus irmãos, quero que saibam que mediante Yeshua lhes é proclamado o perdão dos pecados.

Por meio dele, todo aquele que crê é justificado de todas as coisas das quais não podiam ser justificados pela lei de Moisés. Atos 13:38,39


Por fim, como epílogo do capítulo, a grande declaração;

Por isso eu lhe darei uma porção entre os grandes, e ele dividirá os despojos com os fortes, porquanto ele derramou sua vida até à morte, e foi contado entre os transgressores. Pois ele carregou o pecado de muitos, e intercedeu pelos transgressores. Isaías 53:12

Ele exerce agora a função de intercessor, coisa difícil de avaliar a sua importância, pois como isso não pode ser visto, também não conseguimos avaliar o seu alcance e efetividade.

Portanto ele é capaz de salvar definitivamente aqueles que, por meio dele, aproximam-se de Deus, pois vive sempre para interceder por eles. Hebreus 7:25


Dar ouvidos às falsas interpretações do livro de Isaías só produzirá grandes prejuízos.

Enfim, sem conhecermos e entendermos bem o que Isaías escreveu, será muito difícil visualizarmos toda a importância do ministério do Messias, facilmente Yeshua poderia ser equiparado a outro profeta qualquer, mas ao vermos a profundidade do seu sacrifício podemos nos regozijar de sermos dignos de receber do amor do Eterno sobre nós.

Escrito por

Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Compartilhe:


Leia também:

Convite à confiança

Vai um cookie aí?

Nós utilizamos cookies para aprimorar a sua experiência em nosso site. Ao fechar este banner ou continuar na página, você concorda com o uso de cookies.

Saiba Mais