Uma bíblia aberta em cima de superfície de madeira

Gálatas, uma carta incompreendida - Parte 05

14/01/2023
Por Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Damos sequência agora com o estudo do capítulo 5 da Carta aos Gálatas.


No capítulo quatro vimos que Shaul mostra que o legalismo é um retrocesso na vida de uma pessoa. Vamos ver a continuidade dos seus ensinos;

Foi para a liberdade que o Messias nos libertou. Portanto, permaneçam firmes e não se deixem submeter novamente a um jugo de escravidão. Gálatas 5:1

Vemos que Shaul estava realmente preocupado com o desvio de doutrina ocorrido na comunidade.

É curioso observar que a forma mais comum da escravidão é um poder subjugar pessoas e obrigá-las a serem escravas, mas o incompreensível é vermos pessoas livres buscarem a escravidão voluntariamente.


É emblemático o que Shaul escreve aos que se iludem com o legalismo;

Ouçam bem o que eu, Paulo, lhes digo: Caso se deixem circuncidar, o Messias de nada lhes servirá.

De novo declaro a todo homem que se deixa circuncidar que está obrigado a cumprir toda a Torá. Gálatas 5:2,3

Ainda hoje vemos líderes, que se dizem messiânicos, ensinando que os seus congregados devem ser circuncidados para agradar o Eterno, isso é uma aberração!

A circuncisão não tem valor espiritual, mas é uma aliança de pertencimento a uma etnia, e como a correta interpretação da Torá nos diz que a primeira aliança é direcionada ao povo de Jacó, então uma vez que alguém dá um passo nessa direção significa que valoriza mais o ser judeu do que o ser Filho de Deus.


Atentem que adotar o legalismo não é uma atitude sem consequências;

Vocês, que procuram ser justificados pela Torá, separaram-se do Messias; caíram da graça.

Pois é mediante o Espírito que nós aguardamos pela fé a justiça que é a nossa esperança. Gálatas 5:4,5

Enquanto os profetas do passado ansiavam pela redenção futura e assim serem libertos da maldição da Torá, hoje muitos que já estão libertos querem voltar ao caminho que leva à condenação.

Pois eu lhes digo a verdade: Muitos profetas e justos desejaram ver o que vocês estão vendo, mas não viram, e ouvir o que vocês estão ouvindo, mas não ouviram. Mateus 13:17

É muito claro que não é pela inspiração do Espírito do Eterno que eles entram por esse caminho.


Olhe, isto foi escrito por um judeu fariseu, formado por eruditos judeus famosos;

Porque no Messias Yeshua nem circuncisão nem incircuncisão têm efeito algum, mas sim a fé que atua pelo amor. Gálatas 5:6

É exatamente isso o que a Torá ensina, como poderemos negligenciar o que realmente é importante para o Eterno?

A confiança nas palavras de Yeshua é o motor que muda a nossa vida, o cumprimento de regras não é o que o Eterno realmente aprecia.


Acredito que muitos já assistiram corridas onde um promissor candidato a vencer tropeça, ou tem uma cãibra, ou a resistência diminui e ele acaba perdendo a competição;

Vocês corriam bem. Quem os impediu de continuar obedecendo à verdade? Gálatas 5:7

Neste caso, alguém foi responsável por iludir a comunidade, assim como por vezes alguém é responsável por apresentar ideias demoníacas para certas pessoas e elas abandonam o certo pelo duvidoso (que na verdade é falso).


Shaul deixa claro de onde provém essa doutrina do legalismo;

Tal persuasão não provém daquele que os chama.

"Um pouco de fermento leveda toda a massa". Gálatas 5:8,9

Alguns se iludem pensando que foi uma comunidade, ou seja, uma igreja ou uma congregação messiânica que os levou a conhecer Yeshua, isso não é verdade, quem nos convence da verdade é o Espírito do Eterno, então, se deixarmos uma mentira entrar no nosso coração a culpa é toda nossa.

O pior, é que se deixarmos o erro entrar em nossa vida ele pode ser contagioso e matar outras pessoas.


Shaul os conhecia o suficiente para acreditar que os irmãos gálatas dariam ouvidos ao que ele escreveu;

Estou convencido no Senhor de que vocês não pensarão de nenhum outro modo. Aquele que os perturba, seja quem for, sofrerá a condenação. Gálatas 5:10

Este é um grande alerta tanto para quem ouve os legalistas judaizantes, quanto para os que infectam o coração dos incautos com veneno maligno, que parece doce, mas é um veneno mortal. O seu destino será trágico!


Shaul agora usa um pouco de ironia;

Irmãos, se ainda estou pregando a circuncisão, por que continuo sendo perseguido? Nesse caso, o escândalo da cruz foi removido. Gálatas 5:11

Se ele pregasse a circuncisão para os gentios ninguém iria incomodá-lo, pois seria “politicamente correto”, mas espiritualmente errado.

Então, neste caso, a pregação do sacrifício do Messias não ofenderia ninguém.


Shaul estava revoltado com os da circuncisão que perturbaram a Galácia;

Quanto a esses que os perturbam, quem dera que se castrassem! Gálatas 5:12

O que passou na cabeça de Shaul também passa na cabeça dos que são sérios seguidores de Yeshua, quisera que esses iníquos não se reproduzissem e fossem extintos! Mas é só um desabafo.


O autor também nos alerta sobre o privilégio da liberdade que recebemos de Yeshua;

Irmãos, vocês foram chamados para a liberdade. Mas não usem a liberdade para dar ocasião à vontade da carne; pelo contrário, sirvam uns aos outros mediante o amor.

Toda a Torá se resume num só mandamento: "Ame o seu próximo como a si mesmo". Gálatas 5:13,14

Não é incomum vermos pessoas que sabem que são livres fazerem escolhas erradas, porque a sua velha natureza, que deveria estar sepultada, de vez em quando aparece cobrando seus “direitos” sobre a pessoa na forma de tentação e ela cede.

Nisso vemos o surgimento de rusgas ou até embates mais graves entre aqueles que deveriam dar o melhor dos testemunhos, o que não ocorreria se o Espírito do Eterno fosse o mediador entre as partes.

Dá a entender que os “perturbadores da fé” dividiram os irmãos e isso gerou contendas.

Alguns podem pensar que Yeshua disse algo novo relacionado à Torá quando resumiu o conteúdo dela para alguns fariseus, mas vejam que isso está registrado na Torá exatamente como foi dito pelo Messias;

Não procurem vingança, nem guardem rancor contra alguém do seu povo, mas ame cada um o seu próximo como a si mesmo. Eu sou o Senhor. Levítico 19:18


A frase popular “Quando um não quer, dois não brigam!” expressa uma verdade que tem raízes nas Escrituras;

Mas se vocês se mordem e se devoram uns aos outros, cuidado para não se destruírem mutuamente. Gálatas 5:15

A prática nos mostra que se duas pessoas não se amam e entram em conflito há a tendência de ocorrerem graves perdas para ambas as partes, o que não é esperado de pessoas que vivem a verdade das Boas Novas de Yeshua e que preferem ter prejuízo a levar uma disputa a níveis catastróficos.


É certo que muitos conhecem estes versos;

Por isso digo: vivam pelo Espírito, e de modo nenhum satisfarão os desejos da carne.

Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito; e o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam. Gálatas 5:16,17

Mas entre conhecer o texto e vive-lo existe um grande abismo.

Existem muitas pessoas profundamente religiosas, cumpridoras com extremo zelo de todas as atribuições exigidas por seus líderes e regras escritas por eles, mas que, na verdade, não sabem o que é ser uma pessoa espiritual, não sabem de fato o que é ter comunhão com o seu Criador.

Uma pessoa espiritual é aquela que sabe ouvir o que o Espírito do Eterno fala com ela, sabe abrir o seu coração em sinceridade diante da manifestação do poder do Eterno, sente-se íntimo com o seu Deus e vive só por regras, mas sabe o que é o amor divino.

Na verdade, isso não é algo que se possa ensinar, experiências pessoais só podem ser comentadas, nunca podem ser compartilhadas a menos que a outra pessoa esteja na mesma disposição de se apresentar diante do Eterno por si mesma, então as experiências serão similares.

Quem não é espiritual apenas sabe o que é a tendência da carne, que é a do servir o EGO, mas o que é espiritual vai saber que entrará em guerra contra si mesmo quando tiver que lutar com a vontade da carne e a orientação do Espírito, pois na maioria das vezes essas vontades são antagônicas e temos que escolher, o que nem sempre é fácil.


Agora um verso que precisa ser bem entendido;

Mas, se vocês são guiados pelo Espírito, não estão debaixo da Torá. Gálatas 5:18

Com estas palavras Shaul não está dizendo que a Torá perde a sua função, porque se alguém interpretar assim teria um problema de conflito com outras passagens em que ele defende a Torá.

Como vimos anteriormente, a Torá aponta o erro e o pecado, então isso nunca vai mudar, e o que acontece com as pessoas que são dirigidas pelo Espírito do Eterno é que exatamente por isso não irão transgredir as normas estabelecidas pelo Criador, Ele nos guia no caminho e assim não infringiremos a Torá.

Em consequência disso, concluiremos que as pessoas que são guiadas pelo seu próprio discernimento no cumprimento das regras e leis, ficam sujeitas às fraquezas humanas, e então terão muita dificuldade para agradar ao Eterno.


A fraqueza humana atinge todas as pessoas indistintamente;

Ora, as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual, impureza e libertinagem; idolatria e feitiçaria; ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, facções e inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes. Eu os advirto, como antes já os adverti, que os que praticam essas coisas não herdarão o Reino de Deus. Gálatas 5:19-21

Então todos nós temos que lutar diuturnamente para vencer as tentações, e as pessoas que lutam sozinhas tendem a perder essa luta.

Não podemos dizer que todas essas pessoas praticarão todos os tipos de “obras da carne”, porque as tendências são distintas sendo umas mais fortes do que as outras em cada um.

As consequências para quem perde a batalha, serão as mesmas, os que não tem forças para resistir mesmo sabendo que está errado perderão o direito de herdar o Reino do Eterno.

Essa luta nós não podemos vencer sozinhos, precisamos de ajuda.


Essa ajuda vem de forma sobrenatural;

Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há nada na Torá. Gálatas 5:22,23

No momento em que nos colocamos nas mãos do nosso Deus e o Espírito do Eterno passa a habitar em nós, realmente nos tornamos novas criaturas.

Aquilo que antes era impossível, repentinamente se torna natural, não é necessário grande esforço para vencer a maioria das tentações, o que antes da transformação do Espírito era praticamente impossível, pois seguíamos as tendências deste mundo e nos justificávamos nelas.

É evidente que algumas tentações quando atacam as nossas maiores fraquezas vão requerer uma atenção maior da nossa parte para não sermos enganados pelo adversário, mas a diferença é que com a velha natureza cederíamos com facilidade, mas agora temos armas para vencer.

A nossa arma é a presença divina em nós, o Espírito do Eterno nos inunda com algo que muito desejamos, um amor especial que o mundo não conhece, uma alegria também especial que nunca pode ser experimentada pelo padrão mundano, uma paz que pode ser usufruída mesmo no meio de uma guerra, uma paciência que muitos admitem que não era parte de sua vida, uma amabilidade superior à que seja natural, uma bondade que vai além da intenção de ajuda física, mas o desejo de que a salvação seja a ajuda maior à pessoa, fidelidade devido à motivação das nossas experiências pessoais com o Eterno, mansidão ou humildade vinda da ação direta do Espírito Divino, pois sabemos a nossa posição diante do Criador e domínio próprio ou autocontrole que se torna muito mais fácil devido à motivação de nossa vida com a santidade.

Quem vive estas coisas não precisa se preocupar com a Torá, porque terá facilidade em não a transgredir.


Os privilégios de quem anda no Espírito do Eterno;

Os que pertencem ao Messias Yeshua crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos. Gálatas 5:24

Ao nos entregarmos como submissos ao Messias, executamos a nossa velha natureza com as vontades nativas deste mundo.

Ficamos livres, essa é a liberdade conquistada pelo sacrifício de Yeshua.


É evidente que essas coisas não acontecem de forma passiva;

Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito. Gálatas 5:25

A nossa vontade é muito importante em todo esse processo, o Eterno não obriga as pessoas a amá-lo, somos convidados a conhecê-lo.

Precisamos decidir por receber a presença do Espírito Divino em nós, e uma vez em que esse privilégio é alcançado, precisamos nos esforçar para que todos os benefícios sejam atuantes nas nossas vidas de forma prática, exercitando diariamente o nosso contato com o sobrenatural.


Nossa vida deve ser distinta do que seja comum neste mundo;

Não sejamos presunçosos, provocando uns aos outros e tendo inveja uns dos outros. Gálatas 5:26

O homem não nascido do Espírito tende a se orgulhar de suas conquistas feitas pela sua capacidade pessoal, tem a tendência de se comparar com os outros e se encontrar algo que aponte que ele é melhor em alguma coisa, ele se orgulha e gosta de se exibir humilhando os outros, já os que são humilhados sentem inveja do provocador e disso podem vir muitas consequências trágicas.

O servo do Eterno não pode agir assim, antes deve reconhecer que tudo o que tem vem do alto e suas qualidades devem ser usadas para o bem comum, e nunca teremos motivos para sentir inveja, visto que toda a glória deste mundo desaparece como o clarão de um relâmpago, que brilha muito por alguns segundos, mas desaparece e não produz nada permanente.


Andar no Espírito é tão bom, que parece totalmente inútil querer trocar isso pelo legalismo, pois se perde toda esta vantagem.


Esta é a quinta parte do estudo sobre a Carta aos Gálatas.

No próximo estudo teremos a continuação.

Escrito por

Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Compartilhe:


Leia também:

Por que dez por cento?

Vai um cookie aí?

Nós utilizamos cookies para aprimorar a sua experiência em nosso site. Ao fechar este banner ou continuar na página, você concorda com o uso de cookies.

Saiba Mais