Estudo sobre Romanos - Parte 5

16/07/2021
Por Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Como dissemos anteriormente, a Torá não é só acusação, mas é a revelação do meio de resolver a questão, ela apresenta o Messias e promete a redenção.


O capítulo 8 já começa com uma revelação importantíssima; 

Portanto, agora já não há condenação para os que estão no Mashiach Yeshua, porque por meio do Mashiach Yeshua a Torá do Espírito de vida me libertou da Torá do pecado e da morte.

Porque, aquilo que a Torá fora incapaz de fazer por estar enfraquecida pela carne, Deus o fez, enviando seu próprio Filho, à semelhança do homem pecador, como oferta pelo pecado. E assim condenou o pecado na carne, a fim de que as justas exigências da Torá fossem plenamente satisfeitas em nós, que não vivemos segundo a carne, mas segundo o Espírito. Romanos 8:1-4

Vamos destacar alguns pontos desta passagem.

1- Os que se uniram ao Messias Yeshua estão declarados livres de qualquer condenação e passamos a saber que agora há a Torá do Espírito.

Mas, o que é a Torá do Espírito? Teremos uma nova Escritura?

Na verdade, não teremos uma nova Escritura, afinal Yeshua mesmo disse que Ele não veio para anular a Torá, mas cumpri-la, mas o Espírito do Eterno deu um caminho alternativo bem melhor para nos livrarmos da condenação. Visto que pela carne a Torá, ou seja, a instrução de como viver a santidade do Eterno, não pode ser cumprida plenamente, o Criador proveu um meio mais eficiente de conseguimos isso, enviando o seu Filho para morrer no nosso lugar.

2- Entendemos que o Brit Chadashá (a Nova Aliança) não nos foi dada para substituir a Primeira Aliança, mas a compilação dos escritos dos shaliachim e rohim (apóstolos e pastores) que foram inspirados pelo Ruach Adonai (o Espírito de Deus) detalham e explicam o cumprimento da Torá no Messias.

3- Agora entendemos claramente que a vinda do Filho de Deus, que se tornou “semelhante” ao homem pecador, assumindo um corpo de carne e mesmo assim não se tornando escravo do pecado, assumiu o pecado do ser humano e o pagou com o derramamento do seu sangue no madeiro, assim satisfez as exigências da Torá.

4- Uma vez satisfeitas as exigências da Torá fomos comprados pelo Eterno e não somos mais escravos da carne no pecado, mas livre no Espírito para vivermos nele.


Detalhando mais;

Quem vive segundo a carne tem a mente voltada para o que a carne deseja; mas quem vive de acordo com o Espírito, tem a mente voltada para o que o Espírito deseja.

A mentalidade da carne é morte, mas a mentalidade do Espírito é vida e paz; a mentalidade da carne é inimiga de Deus porque não se submete à lei de Deus, nem pode fazê-lo. Romanos 8:5-7

Só quem realmente tem uma experiência de transformação do espírito pode verdadeiramente entender a diferença entre a vida da antiga natureza e a nova vida recebida do Espírito, porque o “carnal” só conhece o desejo da carne e por ele é dominado, mas o que sabe o que é ser livre, sabe o que é vida e o verdadeiro shalom. Esta é uma verdade ignorada por muitas pessoas, deixar-se dominar pela carne e viver pela sua vontade desagrada o Eterno de forma intensa, pois não se importa com o desejo do Espírito, mesmo porque somente o espiritual sabe qual é esse desejo.


Então, que fique bem claro;

Quem é dominado pela carne não pode agradar a Deus. Romanos 8:8

Este texto é autoexplicativo.


Os próximos dois versos contém verdades que não podem ser esquecidas e nem desconsideradas;

Entretanto, vocês não estão sob o domínio da carne, mas do Espírito, se de fato o Espírito de Deus habita em vocês. E, se alguém não tem o Espírito do Messias, não pertence ao Messias.

Mas se o Messias está em vocês, o corpo está morto por causa do pecado, mas o espírito está vivo por causa da justiça. Romanos 8:9,10

Deve ficar bem claro que o Ruach de Deus é o mesmo Ruach do Messias, porque não existem dois espíritos divinos, só um. Desta forma, podemos inverter a ordem da frase que ainda tem sentido, quem não pertence ao Messias não tem o Espírito de Deus. Isso retira qualquer possibilidade de que um religioso, por mais inteligente, estudioso, dedicado e famoso que seja, mas que não crê que Yeshua seja quem Ele realmente é, possa ser considerado capaz de receber revelações ou inspirações divinas, ou que seja modelo e referência para os messiânicos. Tal pessoa mesmo que use a Torá como base para a sua prédica, está muito vulnerável para receber inspiração demoníaca, pois rejeitando o Salvador enviado pelo Eterno essa pessoa se coloca como carnal e inimiga de Deus.

Vejamos este exemplo em Atos;

Alguns judeus exorcistas que andavam expulsando espíritos malignos tentaram invocar o nome do Senhor Yeshua sobre os endemoninhados, dizendo: "Em nome de Yeshua, a quem Paulo prega, eu lhes ordeno que saiam!"

Os que estavam fazendo isso eram os sete filhos de Ceva, um dos sumos sacerdotes dos judeus.

Um dia, o espírito maligno lhes respondeu: "Yeshua, eu conheço, Paulo, eu sei quem é; mas vocês, quem são?" Atos 19:13-15

Vejam estes filhos do Kohem Gadol (sumo sacerdote), tinham autoridade, respeito e conhecimento da Torá, mas o espírito maligno não os respeitou e partiu para cima deles deixando-os feridos e humilhados.


Mas nós que somos habitação do Ruach somos privilegiados.

E, se o Espírito daquele que ressuscitou Yeshua dentre os mortos habita em vocês, aquele que ressuscitou o Messias dentre os mortos também dará vida a seus corpos mortais, por meio do seu Espírito, que habita em vocês. Romanos 8:11

 Já vimos que o sacrifício do Mestre e Senhor Yeshua, que por meio do Ruach nos justificou e permitiu que o Espírito habitasse em nós dando vida ao espírito morto, agora também nos capacita a receber vida ao nosso corpo, ou seja, Ele agirá sobre nós em cada situação da nossa vida.


Nestes versos agora Shaul nos dá mais algumas dicas importantes;

Portanto, irmãos, estamos em dívida, não para com a carne, para vivermos sujeitos a ela.

Pois se vocês viverem de acordo com a carne, morrerão; mas, se pelo Espírito fizerem morrer os atos do corpo, viverão, porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. Romanos 8:12-14

É uma forma bem interessante de vermos este nosso relacionamento.

Morremos para a carne, portanto não devemos nada a ela para nos sujeitarmos, porque ela sempre nos puxou para a morte, agora podemos matar os velhos hábitos que o corpo nos condicionou.

Não significa aqui que iremos mortificar o corpo submetendo-o a jejuns, privações, flagelos ou sofrimentos masoquistas, mas simplesmente dominar os nossos impulsos pecaminosos, isso é o que o Espírito de Deus nos ajuda a fazer matando os atos do corpo.

Aqui também deixa claro quem pode se dizer “filho de Deus”, somente quem é guiado pelo Espírito de Deus e somente é guiado pelo Espírito de Deus que crê em Yeshua o Messias e mergulha na sua morte.


Então como filhos, somos únicos;

Pois vocês não receberam um espírito que os escravize para novamente temer, mas receberam o Espírito que os adota como filhos, por meio do qual clamamos: "Aba, Pai".

O próprio Espírito testemunha ao nosso espírito que somos filhos de Deus. Romanos 8:15,16

O espírito com quem nos relacionamos agora é muito diferente do espírito com quem o mundo se associa. O mundo sofre e teme porque se subordina ao espírito do mal e tem Satan como pai.

Quando recebemos o Espírito do Eterno, somos adotados como filhos. Essa é uma figura de linguagem que se aproxima de como somos vistos pelo Criador.

Yeshua é o Filho unigênito, o único que saiu do Criador fazendo parte dEle, nós somos criaturas com potencial para sermos feitos filhos de Deus. Uma vez que originalmente nós não saímos de Deus, só podemos ser feitos filhos por adoção, assunto que sabemos que torna o adotado detentor de todos os diretos de herança que os filhos naturais. Aqui neste mundo a adoção só se torna válida com documentos firmados em cartório, mas a adoção divina requer tão somente que o Espírito de Deus habite em nós.


Continuando nos versos 17 e 18;

Se somos filhos, então somos herdeiros; herdeiros de Deus e coerdeiros com o Messias, se de fato participamos dos seus sofrimentos, para que também participemos da sua glória.

Considero que os nossos sofrimentos atuais não podem ser comparados com a glória que em nós será revelada. Romanos 8:17,18

Podemos e devemos nos assumir como filhos, reconhecendo que mesmo compartilhando a mesma herança, Yeshua continua sendo Senhor, essas regras vem do Eterno, não de leis humanas, e sendo assim participaremos dos sofrimentos relacionados a essa condição familiar, pois elas são também consequências da glória futura de que iremos participar.


Vejamos os versos 19 a 21;

A natureza criada aguarda, com grande expectativa, que os filhos de Deus sejam revelados.

Pois ela foi submetida à futilidade, não pela sua própria escolha, mas por causa da vontade daquele que a sujeitou, na esperança de que a própria natureza criada será libertada da escravidão da decadência em que se encontra para a gloriosa liberdade dos filhos de Deus. Romanos 8:19-21

É certo que nos tempos de Shaul a ocupação humana na face da terra era muito menor do que o que vemos hoje, mas mesmo assim já era visível a intervenção do homem no meio ambiente. Hoje a situação é bem mais grave do que a dois mil anos trás, então fica bem evidente que a revelação dos filhos de Deus está iminente. 


Continuando agora veremos os versos 22 a 23;

Sabemos que toda a natureza criada geme até agora, como em dores de parto.

E não só isso, mas nós mesmos, que temos os primeiros frutos do Espírito, gememos interiormente, esperando ansiosamente nossa adoção como filhos, a redenção do nosso corpo. Romanos 8:22,23

Este mundo sofre com a impiedade humana, mas sabemos que logo a raça humana será removida do planeta para que ele se desfaça, porque não haverá futuro para a terra, já que estão prometidos um novo céu e uma nova terra, e também entre a humanidade haverá a separação entre os que destruíram a natureza e os que foram redimidos.


Shaul foi mestre em acertar definições, vejamos aqui;

Pois nessa esperança fomos salvos. Mas, esperança que se vê não é esperança. Quem espera por aquilo que está vendo?

Mas se esperamos o que ainda não vemos, aguardamo-lo pacientemente. Romanos 8:24,25

A palavra esperança pode significar muitas coisas para muita gente, mas para o messiânico a verdadeira esperança é aquela que exercitamos no aguardo do cumprimento dos propósitos do Eterno, porque é algo em que podemos confiar com absoluta certeza de que será cumprido.


Complementando esse assunto, Shaul toca num ponto muito importante;

Da mesma forma o Espírito nos ajuda em nossa fraqueza, pois não sabemos como orar, mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis.

E aquele que sonda os corações conhece a intenção do Espírito, porque o Espírito intercede pelos santos de acordo com a vontade de Deus. Romanos 8:26,27

Como um recurso disponível com mais clareza para nós nesta era, a ação do Ruach fica mais clara ao entendermos que Ele entra de fato no íntimo do nosso ser, nos conhece e manifesta o seu ministério, ou seja, nos ensina todas as coisas e ainda realiza o que não podemos fazer por nós mesmos.

Mas uma coisa é certa, nossa comunhão com o Eterno se aperfeiçoa de uma maneira intensa.


Shaul toca agora em um assunto que tem sido polemizado a séculos, mas entendo que está colocado pelo apóstolo de forma simples e clara.

Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.

Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.

E aos que predestinou, também chamou; aos que chamou, também justificou; aos que justificou, também glorificou. Romanos 8:28-30

Sabemos? Sim, tenho certeza de que todos os redimidos sabem que o Criador é ativo em nossa vida e nunca faz nada para o nosso mal.

Agora, encontramos as palavras “chamado” e “propósito”, isso diz muito sobre a nossa relação com Deus.

Precisamos compreender totalmente que o nosso Criador tem a capacidade de saber todas as coisas de forma atemporal, não existe nada que Ele não saiba, inclusive as coisas da nossa vida que sejam as mais íntimas, e sendo assim Ele pode administrar a nossa existência e controlar circunstâncias de forma que aquilo que Ele planejar se cumpra com perfeição.
Podemos então dizer que Deus escolhe as pessoas? Sim, com certeza, o Eterno não faz nada de improviso ou na tentativa e erro, por conhecer cada criatura Ele pode se dar ao luxo de escolher quem Ele sabe que será fiel e útil no seu projeto de redenção.


Shaul também escreveu alguns dos versos mais significativos das Escrituras;

Que diremos, pois, diante dessas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?

Aquele que não poupou a seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós, como não nos dará juntamente com ele, e de graça, todas as coisas?

Quem fará alguma acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.

Quem os condenará? Foi o Messias Yeshua que morreu; e mais, que ressuscitou e está à direita de Deus, e também intercede por nós.

Quem nos separará do amor do Messias? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? Romanos 8:31-35

O texto em si é auto explicativo, as perguntas foram feitas de forma que entendemos sem nem mesmo precisarmos ver respostas.

Através de Yeshua podemos nos considerar seguros, confiantes e descansados, porque se reconhecemos tudo o que recebemos do Eterno é valioso e certo, o que podemos temer?


Eis aqui um verdadeiro paradoxo;

Como está escrito: "Por amor de ti enfrentamos a morte todos os dias; somos considerados como ovelhas destinadas ao matadouro".

Mas, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Romanos 8:36,37

Depois de tudo o que vimos acima sobre proteção, segurança e etc., agora somos informados de que enfrentaremos ameaças de morte violenta, desprezados pelo mundo.

O paradoxo está no fato de que temos as promessas de que receberemos o melhor da presença do Deus, o pior do mundo, mas mesmo assim seremos sempre vencedores.


Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está no Messias Yeshua, nosso Senhor. Romanos 8:38,39

Agora, se Shaul está convencido destas coisas, por que não estaríamos nós também convencidos disso?

Não importam as ameaças, não importam as agressões, não importam as incertezas, não importam as dificuldades, não seremos nunca separados do amor de Deus.

Escrito por

Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Compartilhe:


Leia também:

SHAVUOT – FESTA DAS SEMANAS PENTECOSTES

Vai um cookie aí?

Nós utilizamos cookies para aprimorar a sua experiência em nosso site. Ao fechar este banner ou continuar na página, você concorda com o uso de cookies.

Saiba Mais