Bíblia aberta sobre superfície, com efeito de folhas sendo viradas pelo vento.

Estudo sobre Romanos - Parte 11

22/08/2021
Por Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Ao lermos os primeiros versos do capítulo 15, observamos que é o encerramento do assunto tratado no capítulo anterior;

Nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos.

Cada um de nós deve agradar ao seu próximo para o bem dele, a fim de edificá-lo.

Pois também o Messias não agradou a si próprio, mas, como está escrito: "Os insultos daqueles que te insultam caíram sobre mim". Romanos 15:1-3

Você considera que pode ficar em pé sozinho, que pode andar por sua própria conta, ou seja, tem segurança na sua fé e conhece bastante do Tanach? Então não despreze aquele que você vê que caminha com dificuldades, que precisa que outros o suportem, ou seja, tem dúvidas sobre a sua fé, não entende bem as Escrituras, antes o ajude e ore por ele, não devemos achar que somos superiores a ninguém.

Lembremos que Yeshua fez exatamente isso por nós, teve muita paciência até que nós mesmos aceitássemos que as suas palavras eram verdadeiras, e que se alguém nos rejeita, de fato está rejeitando a Ele.


Shaul não imaginava que um dia os seus escritos figurariam entre as mensagens inspiradas para os filhos de Deus;

Pois tudo o que foi escrito no passado, foi escrito para nos ensinar, de forma que, por meio da perseverança e do bom ânimo procedentes das Escrituras, mantenhamos a nossa esperança.

O Deus que concede perseverança e ânimo dê-lhes um espírito de unidade, segundo o Messias Yeshua, para que com um só coração e uma só boca vocês glorifiquem ao Deus e Pai de nosso Senhor Yeshua o Messias. Romanos 15:4-6

É muito importante reconhecermos que o Tanach é a fonte da Palavra do Eterno, e que tudo o que encontramos lá foi registrado, por orientação do Criador, para aprendermos toda a instrução vinda do alto sobre a vida espiritual, as promessas divinas e a natureza do Deus.

Quando entendemos todas essas coisas, fica fácil exercitar a esperança e ânimo sobre a vida futura e segurança na vida presente, por isso que as palavras de Yeshua nos estimulam a entendermos que a unidade envolve também os fracos na fé, para que todos os que deram um passo para a salvação realmente honrem ao Criador.


A unidade apresentada aqui não é uma questão de sermos bonzinhos;

Portanto, aceitem-se uns aos outros, da mesma forma como o Messias os aceitou, a fim de que vocês glorifiquem a Deus.

Pois eu lhes digo que o Messias se tornou servo dos que são da circuncisão, por amor à verdade de Deus, para confirmar as promessas feitas aos patriarcas, a fim de que os gentios glorifiquem a Deus por sua misericórdia, como está escrito: "Por isso, eu te louvarei entre os gentios; Cantarei louvores ao teu nome". Romanos 15:7-9

Então a unidade é uma exigência e não uma opção, pois a única discriminação que o Eterno faz na humanidade é entre os que creem e os que não creem na sua vontade, pois entre fortes e fracos Yeshua aceita a todos, por foi por eles que Ele morreu e não recusou o seu sangue. Os judeus não deveriam considerar os gentios como inferiores por não conhecerem a Torá, mas entender que esses gentios poderiam recebe-lo tão bem quanto qualquer judeu.


Sobre os gentios, a compreensão que Shaul teve é exemplar;

E também diz: "Cantem de alegria, ó gentios, com o povo dele".

E mais: "Louvem o Senhor, todos vocês, gentios; cantem louvores a ele todos os povos".

E Isaías também diz: "Brotará a raiz de Jessé, aquele que se levantará para reinar sobre os gentios; estes colocarão nele a sua esperança". Romanos 15:10-12

A Torá previa com clareza a vinda dos gentios para o caminho da confiança no Deus dos judeus, de forma que o adorariam juntos e conheceriam o Messias juntos, e assim entendemos que se tornariam súditos do Reino de Deus lado a lado com os herdeiros de Abraão.

Isaías recebeu a revelação de que Yeshua, o rei dos judeus, reinaria sobre os gentios também.


Shaul enfatiza bastante a palavra “esperança”;

Que o Deus da esperança os encha de toda alegria e paz, por sua confiança nele, para que vocês transbordem de esperança, pelo poder do Espírito Santo. Romanos 15:13

É interessante atentarmos para o sentimento chamado esperança, pois ele pode ter significado pessoal diferente dependendo da pessoa.

Para quem não deposita total confiança no Criador, a esperança é uma mera expectativa, o reconhecimento da possibilidade da ocorrência de algo bom na sua vida, porém sem a certeza de que possa realmente acontecer. Já para os nascidos de novo, os que tem certeza de sua filiação ao Deus de todo universo, a esperança tem um significado diferente, ela significa que se deve apenas aguardar que uma promessa divina se cumpra, tendo a certeza de que se cumprirá, pois confia na veracidade das palavras vindas do Eterno.

Shaul usa a expressão “Deus da esperança” por ser convicto de que Ele é a fonte única e segura da nossa confiança.


Quando Shaul escreveu esta carta, ele ainda não tinha visitado Roma, mas fica evidente que recebeu informações sobre a comunidade messiânica que prosperava lá e desejou cooperar com eles.

Meus irmãos, eu mesmo estou convencido de que vocês estão cheios de bondade e plenamente instruídos, sendo capazes de aconselhar-se uns aos outros. Romanos 15:14

É maravilhoso podermos nos alegrar com notícias de grupos saudáveis que se desenvolvem na comunhão com o Eterno, da mesma forma que nos entristecemos quando algum grupo se desencaminha por seguir distorções das Escrituras.


Pode até parecer intromissão por parte de Shaul na comunidade romana, e até poderia ser considerada assim se fosse uma agremiação secular, mas se considerarmos o que realmente somos, filhos do Deus vivo, então ele estava se comunicando com “parentes” espirituais e em consequência sentia-se livre para se expressar com liberdade.

A respeito de alguns assuntos, eu lhes escrevi com toda a franqueza, como para fazê-los lembrar-se novamente deles, por causa da graça que Deus me deu, de ser um ministro do Messias Yeshua para os gentios, com o dever sacerdotal de proclamar as Boas Novas de Deus, para que os gentios se tornem uma oferta aceitável a Deus, santificados pelo Espírito Santo. Romanos 15:15,16

Podemos deduzir que ele soube de alguns detalhes sobre a vida messiânica em Roma que o levaram fazer uma recordação doutrinária à comunidade, e ele estava realmente capacitado para isso em função da sua experiência com grupos gentios com quem manteve relacionamento durante o seu ministério.

Quando lemos certas declarações de Shaul, parece existir uma certa ingenuidade por parte de alguns intérpretes do Brit Chadashá quando afirmam que Paulo deixou de agir como pregador entre os judeus e se dedicou exclusivamente aos gentios, e que em função disso tenha deixado de viver como judeu e tenha passado a desconsiderar a Torá. Só pessoas mal esclarecidas entenderiam que Shaul abdicou de sua raiz judaica, mas pessoas atentas veem que ele soube colocar cada um em seu lugar e que ele entendeu muito bem o plano do Eterno para todas as nações.


O ministério de Shaul foi um privilégio, ao mesmo tempo que diferenciado;

Portanto, eu me glorio no Messias Yeshua, em meu serviço a Deus.

Não me atrevo a falar de nada, exceto daquilo que o Messias realizou por meu intermédio em palavra e em ação, a fim de levar os gentios a obedecerem a Deus: pelo poder de sinais e maravilhas e por meio do poder do Espírito de Deus. Assim, desde Jerusalém e arredores, até o Ilírico, proclamei plenamente as Boas Novas do Messias. Romanos 15:17-19

A despeito da aparência, Shaul não estava sendo arrogante, mas sim exultante em toda a sua experiência ao levar a palavra de Yeshua aos gentios, mesmo porque eram poucos os que faziam isso a princípio.

Como ele disse, não o vemos exaltando suas qualidades pessoais arrogantemente, mas sempre mostrando o que Yeshua realizou através da sua vida, e não ficou restrito a uma pequena região, mas envolvendo desde Jerusalém até a região do Ilírico, que era uma província romana, situada na costa oriental do mar Adriático, que separa a Grécia da Itália envolvendo vários povos, em todo esse “miolo” ele levou o conhecimento da salvação a muitos gentios pela manifestação do poder de Deus manifesto através da sua própria vida.


No próximo texto talvez alguns imaginem que Shaul estava manifestando uma condição de ética de respeito territorial, como alguns defendem hoje em dia, mas na verdade não era nada disso;

Sempre fiz questão de pregar o evangelho onde o Messias ainda não era conhecido, de forma que não estivesse edificando sobre alicerce de outro.

Mas antes, como está escrito: "Hão de vê-lo aqueles que não tinham ouvido falar dele, e o entenderão aqueles que não o haviam escutado".

É por isso que muitas vezes fui impedido de chegar até vocês. Romanos 15:20-22

No primeiro século não havia um territorialismo, onde grupos defendessem uma propriedade ou direito de evangelizar uma determinada região, mesmo porque Shaul e muitos outros viam o corpo do Messias como uma única família.

Shaul evitava se estabelecer onde já houvesse uma comunidade messiânica para não desperdiçar oportunidade e “perder tempo” onde o campo já estava semeado, ele dava prioridade para ir a locais onde Yeshua ainda não era conhecido e fazia o trabalho de um verdadeiro “shaliach” (apóstolo), que era estabelecer fundamentos para uma nova comunidade de salvos, e cita o texto de Isaías 52.15, motivo pelo qual ele não fora oficialmente a Roma, pois lá já existia uma comunidade, contudo ele desejava conhecer os irmãos romanos, mesmo porque ele já conhecia muitos irmão oriundos da capital do império e que lá residiam.


Os planos futuros do emissário;

Mas agora, não havendo nestas regiões nenhum lugar em que precise trabalhar, e visto que há muitos anos anseio vê-los, planejo fazê-lo quando for à Espanha. Espero visitá-los de passagem e dar-lhes a oportunidade de me ajudar em minha viagem para lá, depois de ter desfrutado um pouco da companhia de vocês. Romanos 15:23,24

A esta altura, Shaul já trabalhara em toda a região citada anteriormente e citou sobre o seu plano de ir à Espanha. Não se tem registro no texto bíblico sobre a realização dessa viagem, contudo a tradição cita que ele a fez, mas não foi como planejado, porque foi a Roma não como um homem livre, mas quando foi levado preso para ser julgado, entretanto, existem relatos que afirmam que realizou viagem à Espanha durante um período em que foi liberto antes de receber a sentença fatal de Nero.


Alguns pontos curiosos a observar;

Agora, porém, estou de partida para Jerusalém, a serviço dos santos.

Pois a Macedônia e a Acaia tiveram a alegria de contribuir para os pobres dentre os santos de Jerusalém.

Eles tiveram prazer nisso, e de fato são devedores a eles. Pois se os gentios participaram das bênçãos espirituais dos judeus, devem também servir aos judeus com seus bens materiais. Romanos 15:25-27

No primeiro Século os gentios entendiam muito bem como a mensagem da salvação chegou a eles, entendiam que toda a promessa de salvação viria dos judeus e que os primeiros judeus messiânicos arriscaram as suas vidas para que a mensagem chegasse a eles. Israel vivia um período de dificuldades econômicas e a comunidade messiânica tinha muitos pobres.

Os messiânicos gentios se moveram alegremente para ajudar os judeus de Jerusalém pois se sentiam devedores. Com o passar do tempo isso mudou.


Assim era o plano de Shaul;

Assim, depois de completar essa tarefa e de ter a certeza de que eles receberam esse fruto, irei à Espanha e visitarei vocês de passagem.

Sei que, quando for visitá-los, irei na plenitude da bênção do Messias. Romanos 15:28,29

Ele foi a Jerusalém. Quando estava a caminho foi alertado pelo profeta Ágabo de que seria preso, mas não temeu por entender que isso fazia parte do plano do Eterno.

A sua ida a Roma não foi exatamente de modo pacífico, ele teve que adiar seus planos de ir à Espanha enquanto aguardava o julgamento por César.

A pesar de tudo, a sua ida a Roma foi bênção à comunidade messiânica local, pois continuamente se reunia com os irmãos e pode compartilhar com eles a sua experiência com o Messias.


Shaul escreveu aos crentes de Roma como qualquer um de nós o faria, estimulando-os a se unirem ao seu propósito e pedindo oração por proteção onde ele sabia que existia resistência à sua presença, desejando tranquilidade;

Recomendo-lhes, irmãos, por nosso Senhor Yeshua o Messias e pelo amor do Espírito, que se unam a mim em minha luta, orando a Deus em meu favor.

Orem para que eu esteja livre dos descrentes da Judéia e que o meu serviço em Jerusalém seja aceitável aos santos, de forma que, pela vontade de Deus, eu os visite com alegria e juntamente com vocês desfrute de um período de refrigério.

O Deus da paz seja com todos vocês. Amém. Romanos 15:30-33

Certamente os irmãos da capital romana oraram por ele, o que não impediu o Eterno de fazer o que Ele tinha planejado, não seguindo o plano de Shaul.

Os descrentes da Judéia de fato se opuseram a Shaul, porém não puderam fazer nada contra ele.


Entrando agora no capítulo 16 encontramos as palavras finais de Shaul aos messiânicos romanos;

Recomendo-lhes nossa irmã Febe, diaconisa da comunidade em Cencréia.

Peço que a recebam no Senhor, de maneira digna dos santos, e lhe prestem a ajuda de que venha a necessitar; pois tem sido de grande auxílio para muita gente, inclusive para mim. Romanos 16:1,2

Shaul conheceu Febe quando vinha de Corinto, local de grande atividade como emissário de Yeshua, a citação de que ela era shamash (diaconisa) não permite grandes análises por falta de informações, mas o termo indica que tinha responsabilidades na comunidade e lá não havia discriminação de gênero. Cencréia era uma cidade portuária que faz parte do complexo de Corinto. A recomendação de Febe seria útil para os romanos.


Segue-se uma série de cumprimentos

Saúdem Priscila e Áquila, meus colaboradores no Messias Yeshua.

Arriscaram a vida por mim. Sou grato a eles; não apenas eu, mas todas as comunidades dos gentios. Romanos 16:3,4

Este casal de judeus nativos da Itália foram muito importantes no ministério de Shaul, sendo citados inúmeras vezes.


Mais sobre o casal;

Saúdem também a comunidade messiânica que se reúne na casa deles. Saúdem meu amado irmão Epêneto, que foi o primeiro convertido ao Messias na província da Ásia. Romanos 16:5

Podemos deduzir que eles voltaram a Roma depois que foram expulsos devido ao decreto do imperador romano Cláudio por volta do ano 49 ou 50.

Em Roma reuniam uma comunidade Messiânica expressiva.

Sobre Epêneto, pouco se sabe sobre ele.


Saúdem Miryam, que trabalhou arduamente por vocês. Romanos 16:6

Sem dúvida uma judia, mas somente a comunidade romana da época sabe a quem se refere.


Este verso 7 tem provocado muitos debates acadêmicos; 

Saúdem Andrônico e Júnias, meus parentes que estiveram na prisão comigo. São notáveis entre os apóstolos, e estavam no Messias antes de mim. Romanos 16:7

Shaul simplesmente enviou uma saudação, sem a qual nem saberíamos da existência do casal.

Discute-se se eram parentes de sangue ou simplesmente o fato de serem judeus messiânicos. Para mim o importante é que eram chegados ao ministério de Shaul a ponto de compartilharem com ele a prisão.

A palavra επισημοι (episimoi) traduzida como “notáveis” ou se “distinguiram” entre os apóstolos tem levado alguns intérpretes a entenderem que Júnias teria sido uma “apóstola”, talvez a única citada, mas também pode significar que o casal era bem conhecido pelos emissários de Yeshua. Considerando que o termo não era uma distinção hierárquica, mas sim de atividade, e essa citação não nos traz subsídios doutrinários, pouco importa o que significava, os destinatários sabiam o que queria dizer.


Dos versos 8 ao 15 são saudações de pessoas que nos são desconhecidas, mas importantes para Shaul e para a comunidade romana.

Discutir quem foram não será edificante.


Findando a carta;

Saúdem uns aos outros com beijo santo. Todas as comunidades do Messias enviam-lhes saudações. Romanos 16:16

O costume da saudação com beijo era comum nos povos do Oriente Médio, era uma expressão forte de afeto, mas que não faz parte da cultura ocidental e não deve ser entendida como doutrina.


Shaul não poderia deixar de fazer um alerta pertinente, pois é um problema reincidente;

Recomendo-lhes, irmãos, que tomem cuidado com aqueles que causam divisões e colocam obstáculos ao ensino que vocês têm recebido. Afastem-se deles.

Pois essas pessoas não estão servindo ao Messias, nosso Senhor, mas a seus próprios apetites. Mediante palavras suaves e bajulação, enganam os corações dos ingênuos. Romanos 16:17,18

Mais de 1900 anos e ainda hoje esse alerta é atual.

Tomemos cuidado todo o tempo!


Uma comunidade saudável sempre será conhecida a longa distância;

Todos têm ouvido falar da obediência de vocês, por isso estou muito alegre; mas quero que sejam sábios em relação ao que é bom, e sem malícia em relação ao que é mau.

Em breve o Deus da paz esmagará Satanás debaixo dos pés de vocês. A graça de nosso Senhor Yeshua seja com vocês. Romanos 16:19,20

Palavras de ânimo sempre são necessárias.


Estando ao seu lado, Timóteo e alguns irmãos aproveitam a oportunidade;

Timóteo, meu cooperador, envia-lhes saudações, bem como Lúcio, Jasom e Sosípatro, meus parentes. Romanos 16:21

A oportunidade de saudar uma comunidade em evidência mostra o respeito entre eles.


Poucas vezes identificamos alguém que ajudasse Shaul escrevendo as suas cartas;

Eu, Tércio, que redigi esta carta, saúdo vocês no Senhor. Romanos 16:22

Até ele aproveitou a oportunidade, mas sabemos pouco sobre ele.


Partindo agora para os versos finais, Shaul encerra a sua carta;

Que a graça de nosso Senhor Yeshua o Messias seja com vocês todos. Amém.

Ora, àquele que tem poder para confirmá-los pelas minhas Boas Novas e pela proclamação de Yeshua o Messias, de acordo com a revelação do mistério oculto nos tempos passados, mas agora revelado e dado a conhecer pelas Escrituras proféticas por ordem do Deus eterno, para que todas as nações venham a crer nele e a obedecer-lhe, ao único Deus sábio seja dada glória para todo o sempre, por meio de Yeshua o Messias. Amém. Romanos 16:24-27

Mesmo em suas palavras de despedida Shaul coloca pontos importantes para o nosso conhecimento.

Sobre a identidade do Messias, que foi um mistério secreto e silencioso por eras, anunciado pelos profetas que eles mesmos não chegaram a entender, só foi dado a conhecer no momento que o Eterno designou, no tempo em que as nações pudessem conhecer, crer e obedecer ao único Deus existente. Sem Yeshua as nações continuariam em trevas, sem conhecer o verdadeiro Deus, presos em suas crendices e superstições, caminhando para um destino eterno sem esperança.


Assim podemos aprender que o Eterno tem um plano especial para com os goim (gentios) levando às nações o conhecimento da salvação através de Yeshua o Messias de Israel, que todos os povos, sem exceção podem usufruir da paz e comunhão com o Deus de Israel, que na verdade é o Deus de todas as pessoas que se submetem a Ele.

Aprendemos também que os nossos planos, por mais dignos que nos pareçam, sempre estarão debaixo da vontade soberana do nosso Criador.

Que a meditação sobre esta carta traga crescimento espiritual e fortalecimento na sua confiança no nosso Criador.

Escrito por

Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Compartilhe:


Leia também:

HÁ ALGUM PROBLEMA EM NEGAR YESHUA?

Vai um cookie aí?

Nós utilizamos cookies para aprimorar a sua experiência em nosso site. Ao fechar este banner ou continuar na página, você concorda com o uso de cookies.

Saiba Mais