Estudo sobre Romanos - Parte 10

15/08/2021
Por Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Nesta parte da carta, Shaul dedica-se a dar instruções de ordem prática tanto para a nossa vida no dia a dia deste mundo, quanto de ordem pessoal e espiritual.


Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas.

Portanto, aquele que se rebela contra a autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos. Romanos 13:1,2

Todos podemos ter opiniões e podemos fazer escolhas quando nos é dada a oportunidade, mas como messiânicos um conceito precisa estar presente na nossa mente com grande prioridade, o nosso Deus “TEM TUDO SOB CONTROLE”, então nada acontece sem que Ele saiba exatamente porque acontece.

É natural que os filhos de Deus tenham sede de justiça, não se conformem com o mal e apreciem a verdade, não nos sentimos a vontade na presença de pessoas ímpias, corruptas, desonestas, cruéis, desumanas e egoístas, menos ainda se formos governados por elas.

Nos tempos antigos, não era comum o povo escolher os seus governantes, as suas autoridades definiam quem seriam os reis, e estes transmitiriam aos seus filhos o direito ao trono por imposição da lei da nação, e aos súditos cabia apenas acatar e se submeter aos seus caprichos. Alguns foram tiranos, egocêntricos e não se sentiam incomodados em lançar mão da vida dos seus súditos para conquistarem poder para si mesmos.

Mesmo após o fim dos governos monárquicos absolutistas na maioria das nações, mesmo assim, com a chamada democracia, tão amada e defendida por multidões, ainda não temos garantias de que os novos governantes serão perfeitos tanto quanto os idealizamos.

A democracia abriu oportunidade para o surgimento de inúmeras ideologias que são defendidas por grupos de pessoas que podem ser antagônicas e chegar a graves desentendimentos e, possivelmente, até guerras.

Aos messiânicos é tão lícito ter um posicionamento ideológico como a qualquer outra pessoa, contudo a sua responsabilidade com isso é maior do que a das outras pessoas, pois acima de qualquer teoria de governo e da constituição de qualquer país, está a Torá.

Alguns pontos a considerar;

1- Ideologias são pensamentos humanos, portanto são tão passíveis de falhas que é inegável que todas as tem. Só um sistema teocrático verdadeiro estaria fora de questionamentos.

2- Alguns princípios ideológicos são afrontosos aos princípios da Torá, portanto o messiânico deve se posicionar de forma clara em defesa das proposituras divinas.

3- Governantes são homens que dificilmente são filhos de Deus, portanto nunca devemos venerá-los como se fossem perfeitos e cumpridores da Torá. Contudo, alguns claramente se envolvem com ocultismo e são opositores da religião, esses devem ser desconsiderados do nosso afeto e consideração.

Considerando todos estes pontos, será que nos compete definir quem será elevado ao cargo de governante sobre nós? Afirmo categoricamente que não, as Escrituras nos mostram que quem define qual pessoa ascenderá ao poder humano é o Eterno, pois ele usa certas pessoas que governam para cumprir os seus propósitos para com a humanidade, e para isso Ele pode colocar tanto uma pessoa considerada boa, como uma que será considerada ruim, daí a recomendação de Shaul, “Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais” ....


Governantes são desnecessários? Shaul responde;

Pois os governantes não devem ser temidos, a não ser pelos que praticam o mal. Você quer viver livre do medo da autoridade? Pratique o bem, e ela o enaltecerá.

Pois é serva de Deus para o seu bem. Mas se você praticar o mal, tenha medo, pois ela não porta a espada sem motivo. É serva de Deus, agente da justiça para punir quem pratica o mal. Romanos 13:3,4

Pessoas influenciadas pelo “anarquismo” pensam que podem viver sem se sujeitar a autoridades, mas quem acredita nisso está acreditando no impossível, pois o Criador nos fez dependentes de limitadores, precisamos que alguém nos imponha regras para serem obedecidas para que a justiça do Eterno se cumpra, pelo menos de forma mais controlada.

Pessoas que não gostam de obedecer regras não gostam de obedecer a Deus também.


Shaul argumenta;

Portanto, é necessário que sejamos submissos às autoridades, não apenas por causa da possibilidade de uma punição, mas também por questão de consciência. Romanos 13:5

Se somos filhos de Deus, obedeceremos às autoridades, mesmo que não gostemos delas, porque o faremos para honrar a Deus.


Devemos pagar impostos a governos que não confiamos sobre o que farão com eles? Shaul responde;

É por isso também que vocês pagam imposto, pois as autoridades estão a serviço de Deus, sempre dedicadas a esse trabalho.

Deem a cada um o que lhe é devido: Se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, temor; se honra, honra. Romanos 13:6,7

Resistir a essa ordenação é querer complicações para a própria vida.


A recomendação aos messiânicos é;

Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros, pois aquele que ama seu próximo tem cumprido a lei. Romanos 13:8

Aos legalistas, assimilem bem esta instrução, ela está bem de acordo com os princípios da Torá.

Aquele que realmente ama o ser humano, cumpre tudo o que a Torá trata sobre isso.


Explicando mais;

Pois estes mandamentos: "Não adulterarás", "não matarás", "não furtarás", "não cobiçarás", e qualquer outro mandamento, todos se resumem neste preceito: "Ame o seu próximo como a si mesmo".

O amor não pratica o mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento da lei. Romanos 13:9,10

Fica claro que desde o princípio a Torá apresenta as instruções do Eterno com esse propósito, que se pratique o amor agápe.


Shaul escreveu isto a mais de 1900 anos, mas é incrivelmente atual, vejam só;

Façam isso, compreendendo o tempo em que vivemos. Chegou a hora de vocês despertarem do sono, porque agora a nossa salvação está mais próxima do que quando cremos.

A noite está quase acabando; o dia logo vem. Portanto, deixemos de lado as obras das trevas e vistamo-nos a armadura da luz. Romanos 13:11,12

A recomendação era destinada à comunidade romana do primeiro século, mas apliquem isso aos dias de hoje. Compreenda o tempo em que vivemos agora, parece difícil? Seria mais difícil do que no tempo de Shaul?

Certamente que é a mesma dificuldade, porque o problema que existe não está relacionado aos eventos externos, não depende do que acontece com a sociedade onde vivemos, mas a dificuldade está dentro de nós, no nosso íntimo. Despertemos da acomodação pessoal a este mundo, da inatividade, da despreocupação com o plano do Eterno nos nossos dias, as obras das trevas continuam a mesma coisa, tentando afastar o homem da comunhão com Deus.


Agora uma exortação importante para a sua vida;

Comportemo-nos com decência, como quem age à luz do dia, não em orgias e bebedeiras, não em imoralidade sexual e depravação, não em desavença e inveja.

Pelo contrário, revistam-se do Senhor Yeshua o Messias, e não fiquem premeditando como satisfazer os desejos da carne. Romanos 13:13,14

Não é mais tempo de achar que podemos fazer o que os ímpios fazem porque assim seremos melhor aceitos, ou simplesmente porque estamos acostumados a fazer da mesma forma desde antes de conhecer a salvação. Basta! Se ainda não permitiu que o Ruach haKodesh transformasse o seu vocabulário, acha graça de piadas que envolvem pornografia ou denigrem as coisas sagradas do Eterno e não mudou o seu gosto por ambientes onde estão os escarnecedores, mesmo que seja entre familiares ou amigos de longa data, saiba que eles devem saber que você mudou e que a sua mudança deve ser respeitada tanto quanto você respeita o direito deles de serem o que são.

Atente para o que é decente, evite dar a aparência do mal quando fizer uso de bebidas alcoólicas, sexo é assunto restrito ao casal, não devem ser usado em piadas ou depravações, pense bem antes de usar palavras vulgares ou torpes, filtre sua boca na mente e no coração, não precisa de máscara para isso.


Entramos agora no capítulo 14 com mais recomendações messiânicas;

Aceitem o que é fraco na fé, sem discutir assuntos controvertidos. Romanos 14:1

Na questão da doutrina judaica messiânica, como em todas as religiões, não existe unanimidade, mas existem pontos que precisam ser comuns para que um grupo que professe ser messiânico seja reconhecido como tal, é preciso que defenda pontos fundamentais que sejam pilares doutrinários.

Tudo mais que gire em torno destes pilares serão considerados de menor importância onde a controvérsia não comprometa o fundamental.

Algumas pessoas precisam ficar no básico, porque se forem confrontadas com discussões sobre assuntos polêmicos ficarão confusas e tenderão a desanimar e se afastarem do convívio com a comunidade saudável. É importante que essas pessoas sejam identificadas e tratadas como devem ser, com amor, cuidado e aceitação.


É certo que esses problemas já existiam nos tempos de Shaul, mas parece que escreveu para o Século XXI;

Um crê que pode comer de tudo; já outro, cuja fé é fraca, come apenas alimentos vegetais.

Aquele que come de tudo não deve desprezar o que não come, e aquele que não come de tudo não deve condenar aquele que come, pois Deus o aceitou. Romanos 14:2,3

Com frequência vemos pessoas condenando outras por não se comportarem da mesma forma que elas, por não seguirem os mesmos padrões e não defenderem as mesmas regras, mas essas pessoas fazem juízo sem atentar para um ponto essencial, o Eterno aceitou aquelas pessoas como elas são, porque o receberam com sinceridade e cumpriram o básico para serem salvos.

Precisamos tomar cuidado para não nos julgarmos mais justos do que o nosso Deus, porque para isso precisaríamos ser mais sábios, mais santos e mais conhecedores da verdade do que Ele. Então, se alguém não se enquadra nessa categoria de gente, fique recluso à sua incapacidade de julgar qualquer um.


Avalie bem;

Quem é você para julgar o servo alheio? É para o seu senhor que ele está de pé ou cai. E ficará de pé, pois o Senhor é capaz de o sustentar. Romanos 14:4

Quão injustas são muitas acusações que vemos serem divulgadas, muitas vezes qualificando grupos ou pessoas de forma indiscriminada e sem conhecimento do que se passa no coração alheio.

Recomendo que muitas pessoas revejam os seus conceitos para não serem consideradas mais erradas do que aquelas que são acusadas por elas.

No meio dito messiânico, tenho visto até novos adjetivos serem cunhados com o fim de denegrirem a confiança dos que acreditam de forma diferente do conceito particularizado do que deve ser o judaísmo messiânico. Pessoas são consideradas inferiores se não vivem no patamar idealizado por alguns.

Será que esses que assim pensam já consultaram ao Eterno para saber de estão certos?


Vejamos mais;

Há quem considere um dia mais sagrado que outro; há quem considere iguais todos os dias. Cada um deve estar plenamente convicto em sua própria mente.

Aquele que considera um dia como especial, para o Senhor assim o faz. Aquele que come carne, come para o Senhor, pois dá graças a Deus; e aquele que se abstém, para o Senhor se abstém, e dá graças a Deus. Romanos 14:5,6

Sim, os shaliachim (apóstolos) já tinham entendido que os gentios não eram obrigados a cumprir certas ordenanças (mitsvot), que eram designadas especificamente para os descendentes de Avraham cumprirem.

Os gentios que abraçassem a confiança em Yeshua poderiam exercitar a sua confiança de forma distinta dos hebreus no que tange a rituais e tradições, devendo sim manter um padrão de vida compatível com as instruções da Torá dadas a todas as pessoas, assim o que se for fazer, que se faça não para agradar as pessoas, mas para agradar ao Criador.


O nosso compromisso de vida não deve ser para nós mesmos;

Pois nenhum de nós vive apenas para si, e nenhum de nós morre apenas para si.

Se vivemos, vivemos para o Senhor; e, se morremos, morremos para o Senhor. Assim, quer vivamos, quer morramos, pertencemos ao Senhor.

Por esta razão o Messias morreu e voltou a viver, para ser Senhor de vivos e de mortos. Romanos 14:7-9

O mundo vive para si mesmo, as pessoas são levadas a pensarem simplesmente no bem estar humano, uma pessoa será uma boa pessoa se promove o bem à sociedade, pois assim todos vivem bem. Isso, na verdade, mostra apenas um lado da verdade, pois a humanidade visa apenas a sua própria vida.

Mas alguém pode pensar, não é isso o que a Bíblia manda fazer?

Uma resposta simplista seria, sim, mas a forma mais correta seria que ao se realizar essas coisas, a motivação deve ser primeiro a de agradar ao Eterno e depois agradar ao próximo, pois teremos assim uma ação movida pelo nosso amor a Deus a quem pertencemos e as ações não visam o benefício próprio de forma egoísta como a filantropia costuma ser, porque as pessoas costumam ser orgulhosas por serem vistas como “boas”.

O messiânico realmente convicto vive para servir ao Eterno e quando vier a morte, será apenas uma sequência da sua existência, já uma pessoa que se considera justa pelas obras não vislumbra a morte, deseja apenas viver em paz com a sua própria consciência e ser admirado pelos outros.


Com todas estas informações, podemos assimilar a ideia de Shaul;

Portanto, você, por que julga seu irmão? E por que despreza seu irmão? Pois todos compareceremos diante do tribunal de Deus.

Porque está escrito: " ‘Por mim mesmo jurei’, diz o Senhor, ‘diante de mim todo joelho se dobrará e toda língua confessará que sou Deus’ ".

Assim, cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus.

Portanto, deixemos de julgar uns aos outros. Em vez disso, façamos o propósito de não colocar pedra de tropeço ou obstáculo no caminho do irmão. Romanos 14:10-13

Se você acredita que sabe mais da Torá do que o seu irmão e não concorda com a forma de vida dele, saiba, isso não lhe diz respeito, pode ser que ele seja mais sincero diante de Deus do que você que o está julgando.


A partir deste verso 14, vamos encontrar um ponto de muita discussão sobre se Shaul está se afastando do judaísmo;

Como alguém que está no Senhor Yeshua, tenho plena convicção de que nenhum alimento é por si mesmo impuro, a não ser para quem assim o considere; para ele é impuro. Romanos 14:14

Compete a nós compreendermos a princípio que Shaul estava se dirigindo a uma comunidade repleta de gentios e em um meio híbrido de culturas bastante conflitantes, de um lado judeus que aprenderam desde a infância os princípios de kashrut ensinados pelos rabinos de sua época, onde o conceito de impureza ritual era levado muito a sério mesmo estando bem longe do templo de Jerusalém, e do outro lado os gentios para quem a aliança feita com Israel sobre essa pureza não fazia muito sentido. Vemos aqui já alguns princípios que foram tratados em Jerusalém quando os apóstolos debateram sobre os gentios no meio judaico messiânico (Atos 15).


Atente bem a esta colocação de Shaul;

Se o seu irmão se entristece devido ao que você come, você já não está agindo por amor. Por causa da sua comida, não destrua seu irmão, por quem o Messias morreu.

Aquilo que é bom para vocês não se torne objeto de maledicência.

Pois o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo; aquele que assim serve ao Messias é agradável a Deus e aprovado pelos homens.

Por isso, esforcemo-nos em promover tudo quanto conduz à paz e à edificação mútua.

Não destrua a obra de Deus por causa da comida. Todo alimento é puro, mas é errado comer qualquer coisa que faça os outros tropeçarem.

É melhor não comer carne nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa que leve seu irmão a cair. Romanos 14:15-21

Conforme o comentário de David Stern no seu “Comentário Judaico do Novo Testamento” a Bíblia nem sempre explica por que algumas coisas são puras e outras não, a higiene não é o caso, pois se fosse assim não haveria razão para excluir os gentios da aplicação destas leis.

Então fica mais claro porque quem faz questão das restrições alimentares não dever questionar quem não faz, e também quem não faz não questione quem faz, que isso não seja motivo para contendas e escândalos. Portanto, se você sabe que alguém irá se escandalizar por alguma atitude sua relativo à alimentação, simplesmente não o faça, seja discreto e não jogue um foco de luz sobre a sua convicção, pois o que é mais importante, a sua opção alimentar ou a vida espiritual do seu irmão?


Se alguém ficou chocado com o comentado acima, atente para estas palavras de Shaul;

Assim, seja qual for o seu modo de crer a respeito destas coisas, que isso permaneça entre você e Deus. Feliz é o homem que não se condena naquilo que aprova.

Mas aquele que tem dúvida é condenado se comer, porque não come com fé; e tudo o que não provém da fé é pecado. Romanos 14:22,23

Seja convicto sobre o comer ou o não comer, se o Eterno deixa o seu coração em paz então faça, Ele pode exigir de você o que não exigirá de outros, portanto o ponto é, não julgue quem for diferente de você, ame mais do que julga, assim poderemos ter um juízo mais coerente.

Escrito por

Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Compartilhe:


Leia também:

Pessach, celebrar ou não?

Vai um cookie aí?

Nós utilizamos cookies para aprimorar a sua experiência em nosso site. Ao fechar este banner ou continuar na página, você concorda com o uso de cookies.

Saiba Mais