silhueta de homem com os braços estendidos para cima em pôr do sol

E VEIO O ESPÍRITO SOBRE ELES

11/02/2022
Por Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Existe um assunto pouco comentado no meio messiânico, mas que é repleto de importância, tendo em vista que é uma experiência que não se perdeu no tempo, ainda hoje é válida. É a ação do Ruach haKodesh sobre as nossas vidas.

 

A primeira referência que temos sobre a existência do Ruach está no verso 2 do primeiro capítulo de Gênesis como é bem conhecido, ele é citado como estando presente na criação da Terra, ainda que não seja descrito em que Ele atuou.

 

Já a primeira referência de sua atuação na vida do homem encontramos em;

Então disse o Senhor: "Por causa da perversidade do homem, meu Espírito não contenderá com ele para sempre; e ele só viverá cento e vinte anos". Gênesis 6:3

Aqui o Eterno cita a sua parte que age na vida das pessoas, a consciência do homem. É a primeira referência que temos sobre o conflito carne X espírito.

 

A próxima referência que encontramos agora é em;

Disse então o Senhor a Moisés:

Eu escolhi a Bezalel, filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá, e o enchi do Espírito de Deus, dando-lhes destreza, habilidade e plena capacidade artística Êxodo 31:1-3

Aqui vemos o Eterno capacitando um ser humano para realizar uma obra digna do Criador, dando-lhe uma capacidade artística incomum, muito acima da capacitação humana. Isso é atividade do Ruach.

 

A próxima referência está em;

Eu descerei e falarei com você; e tirarei do Espírito que está sobre você e o porei sobre eles. Eles o ajudarão na árdua responsabilidade de conduzir o povo, de modo que você não tenha que assumir tudo sozinho. Números 11:17

Aqui a ação do Ruach tem a ver com capacitação para administrar algo acima da competência do homem. O detalhe também está em que não há limites para a atuação do Espírito, da forma como age em uma pessoa pode agir em muitas mais.

 

Na sequência do texto vemos que a ação do Espírito pode se tornar visível, de forma que se torne inquestionável a sua atuação sobrenatural sobre o ser humano.

O Senhor desceu na nuvem e lhe falou, e tirou do Espírito que estava sobre ele e o pôs sobre as setenta autoridades. Quando o Espírito veio sobre eles, profetizaram, mas depois nunca mais tornaram a fazê-lo. Números 11:25

O fato de o Ruach ter falado através deles, não os tornou profetas, foi um evento único sobre aquele grupo.

 

É interessante notar que o Ruach não restringe a sua atuação ao povo de Israel, nem a restringe a pessoas santas e perfeitas.

Quando Balaão viu que agradava ao Senhor abençoar Israel, não recorreu à magia como nas outras vezes, mas voltou o rosto para o deserto.

Então viu Israel acampado, tribo por tribo; e o Espírito de Deus veio sobre ele, Números 24:1,2

Balaão era um gentio conhecido por receber a Palavra do Eterno para justiça entre os homens.

 

Uma coisa é certa, a unção do Ruach não é hereditária, caso contrário seriam os filhos de Moisés a serem escolhidos para levar o povo, mas a unção foi transferida a um escolhido do Eterno.

Ora, Josué, filho de Num, estava cheio do Espírito de sabedoria, porque Moisés tinha imposto as suas mãos sobre ele. De modo que os israelitas lhe obedeceram e fizeram o que o Senhor tinha ordenado a Moisés. Deuteronômio 34:9

Todo o povo viu que a unção estava sobre Josué e o aceitaram como o cabeça sobre eles.

 

Temos também um exemplo da unção do Ruach para preparar um guerreiro.

Então o Espírito do Senhor apoderou-se de Gideão, e ele, com toque de trombeta, convocou os abiezritas para segui-lo. Juízes 6:34

Essa unção não foi para torna-lo hábil com a espada, mas para vencer sem usá-la. Assim como muitos outros foram usados de forma semelhante.

 

Não apenas com inspiração o Ruach age sobre as pessoas,

O Espírito do Senhor apossou-se de Sansão, e ele, sem nada nas mãos, rasgou o leão como se fosse um cabrito. Mas não contou nem ao pai nem à mãe o que fizera. Juízes 14:6

Sansão ainda jovem e imaturo já experimentou uma força física sobrenatural dada pelo Ruach.

 

O profeta Samuel recebeu a incumbência de ungir a Saul como líder em Israel, e para isso haveria a confirmação do Ruach;

Depois você irá a Gibeá de Deus, onde há um destacamento filisteu. Ao chegar à cidade, você encontrará um grupo de profetas descendo do altar no monte tocando liras, tamborins, flautas e harpas; e eles estarão profetizando.

O Espírito do Senhor se apossará de você, e com eles você profetizará em transe, e será um novo homem. 1 Samuel 10:5,6

Com a experiência com o Ruach, tudo mudou na vida do futuro rei de Israel.

 

Contudo, muitas coisas ainda iriam mostrar como age o nosso Deus;

Samuel então apanhou o chifre cheio de óleo e o ungiu na presença de seus irmãos, e a partir daquele dia o Espírito do Senhor apoderou-se de Davi. E Samuel voltou para Ramá.

O Espírito do Senhor se retirou de Saul, e um espírito maligno, vindo da parte do Senhor, o atormentava. 1 Samuel 16:13,14

O rei Saul pecou, o profeta Samuel foi direcionado para ungir a David como o futuro rei e nesse momento o Ruach passou a habitar nele para capacitá-lo, nesse meio tempo, o Ruach foi retirado de Saul tornando-o inútil para o Eterno.

 

Uma importante atuação do Ruach é o de transmitir a mensagem do Eterno através de profecias.

Depois de atravessar, Elias disse a Eliseu: "O que posso fazer por você antes que eu seja levado para longe de você? " Respondeu Eliseu: "Faze de mim o principal herdeiro de teu espírito profético". 2 Reis 2:9

Eliseu conhecia muito bem os detalhes da vida do profeta Elias e sabia que não poderia profetizar por sua própria vontade, por isso pediu para receber a mesma unção do Ruach que ele conhecia na vida de Elias.

 

O rei David não era exatamente um profeta, mas já sabia o quanto era importante a presença do Ruach que ele recebeu na unção que Samuel fez.

Não me expulses da tua presença, nem tires de mim o teu Santo Espírito. Salmos 51:11

David valorizava a presença do Ruach em sua vida.

 

O Ruach age para ouvirmos a Palavra do Eterno.

Enquanto ele falava, o Espírito entrou em mim e me pôs de pé, e ouvi aquele que me falava. Ezequiel 2:2

Quando o Ruach entra em nós Ele produz ação.

 

Se alguém imagina que a atuação do Ruach se restringe ao período dos profetas, está redondamente enganado;

"E, depois disso, derramarei do meu Espírito sobre todos os povos. Os seus filhos e as suas filhas profetizarão, os velhos terão sonhos, os jovens terão visões.

Até sobre os servos e as servas derramarei do meu Espírito naqueles dias. Joel 2:28,29

O profeta recebeu a mensagem de que o Ruach não somente será dado às nações não israelitas, como será destinado ao seu povo num futuro distante da sua época.

 

Ao adentrarmos no Brit Chadashá, um dos primeiros eventos onde o Ruach é citado está no chamado de Yohanan, quando foi revelado ao seu pai Zacarias sobre o seu nascimento.

pois será grande aos olhos do Eterno. Ele nunca tomará vinho nem bebida fermentada, e será cheio do Espírito Santo desde antes do seu nascimento. Lucas 1:15

Lemos no texto deste capítulo, que a palavra usada para informar o sacerdote foi diferente da linguagem usada posteriormente com Yosef;

Isabel, sua mulher, lhe dará um filho... João seria filho de Zacarias e de Isabel, mas o Eterno já o conhecia e o revestiu do Ruach antes de nascer.

 

Depois, na experiência de Mirian;

O anjo respondeu: "O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Altíssimo a cobrirá com a sua sombra. Assim, aquele que há de nascer será chamado santo, Filho de Deus. Lucas 1:35

No texto original do grego, podemos entender como “ – o poder do Altíssimo a envolverá com uma influência sobrenatural”, dando a entender que o Ruach realizaria uma ação física de geração de um corpo humano, como podemos depreender do texto de;

Mas, depois de ter pensado nisso, apareceu-lhe um anjo do Senhor em sonho e disse: "José, filho de Davi, não tema receber Mirian como sua esposa, pois o que nela foi gerado procede do Espírito Santo. Mateus 1:20

Façamos uma pequena análise exegética;

Em nenhuma parte, foi usada a palavra criar, mas gerar.

Voz passiva, para ser gerado: τό ἐν αὐτῇ γεννηθέν o que é gerado nela.

A geração de Yeshua foi uma ação integralmente realizada pelo poder do Eterno, não dependeu de Mirian e nem de Yossef, o Eterno a usou, como modernamente conhecemos, como barriga de aluguel.

É importante notar a atitude de Mirian;

Respondeu Mirian: "Sou serva do Senhor; que aconteça comigo conforme a tua palavra". Então o anjo a deixou. Lucas 1:38

Ela aceitou sem questionar a ação do Ruach, isso é uma condição pétrea para alguém ser usado pelo poder de Deus como filho, ser disposto em servir.

Interessante notar que nunca foi usada nem uma palavra que denotasse que a criança fosse filho do casal por nenhum anjo, mas somente filho do Eterno.

 

Observemos que até mesmo Yeshua precisou ser cheio do Ruach durante o seu ministério na Terra.

Yeshua, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto, onde, durante quarenta dias, foi tentado pelo diabo. Não comeu nada durante esses dias e, ao fim deles, teve fome. Lucas 4:1,2

Alguns intérpretes equivocados podem entender que, se Ele precisou do Ruach, significa que era homem e não um ser divino. Mas essa interpretação está longe da verdade, pois o texto bíblico mostra claramente que o Messias deixou a sua glória que tinha anteriormente para poder ser um homem integralmente, condição esta que é essencial para que pudesse ser o Korbam, ou seja, a oferta perfeita, além de que, se Ele não estivesse com as mesmas limitações humanas nunca poderia ser dito que Ele em tudo foi tentado e que assim entende as nossas fraquezas, e também nunca diria que nós poderíamos ser como Ele.

Aquele que é a Palavra tornou-se carne e viveu entre nós. Vimos a sua glória, glória como do Unigênito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade. João 1:14

 

Tu o fizeste um pouco menor do que os anjos e o coroaste de glória e de honra; tudo sujeitaste debaixo dos seus pés". Ao lhe sujeitar todas as coisas, nada deixou que não lhe estivesse sujeito. Agora, porém, ainda não vemos que todas as coisas lhe estejam sujeitas.

Vemos, todavia, aquele que por um pouco foi feito menor do que os anjos, Yeshua, coroado de honra e glória por ter sofrido a morte, para que, pela graça de Deus, em favor de todos, experimentasse a morte.

Ao levar muitos filhos à glória, convinha que Deus, por causa de quem e por meio de quem tudo existe, tornasse perfeito, mediante o sofrimento, o autor da salvação deles. Hebreus 2:7-10

Como ser humano Ele precisou que o Ruach o enchesse também, pois os atributos divinos ficaram guardados até a sua glorificação.

Era necessário tudo isso até mesmo para que Ele, como ser humano, experimentasse a morte, e assim fica claro “Yeshua, como ser humano” morreu, mas o Messias como parte de Deus nunca morreu.

Em similaridade, podemos dizer que um dia todos nós teremos o nosso corpo morto e sepultado, mas o nosso espírito viverá para sempre diante do nosso Criador, aos que crerem no sacrifício de Yeshua.

 

Ser filho de Deus é uma condição tal, que a nossa comunhão permite que o Ruach fale por nossas bocas.

Mas quando os prenderem, não se preocupem quanto ao que dizer, ou como dizer. Naquela hora lhes será dado o que dizer, pois não serão vocês que estarão falando, mas o Espírito do Pai de vocês falará por intermédio de vocês. Mateus 10:19,20

Isso denota que a presença do Eterno em nós é real pela manifestação do seu Espírito.

 

Uma frase bastante repetida no livro de Atos é “cheio do Espírito Santo”.

Isso demonstra que alguma coisa ficou diferente depois dessa festa de shavuot.

Essa frase foi usada muito pouco no TANACH, mas agora!
Começa em Atos 2, mostrando que os discípulos reunidos em Jerusalém tiveram uma experiência bem distinta sobre o que é ser envolvido, cheio e transbordante da presença do Ruach em suas vidas.

Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito os capacitava. Atos 2:4

Algo inédito ocorreu e ficou marcante até os nossos dias. Ser cheio do Ruach faz muita diferença.

 

Sabemos que no TANACH temos exemplos de mártires que deram as suas vidas porque eram fiéis ao Deus que escolheram servir, mas temos também na era do Brit Chadashá exemplos importantes como foi o caso de Estêvão.

Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo, levantou os olhos para o céu e viu a glória de Deus, e Yeshua de pé, à direita de Deus, e disse: "Vejo o céu aberto e o Filho do homem de pé, à direita de Deus". Atos 7:55,56

Estar cheio do Ruach foi importante nesse momento para enfrentar a morte sabendo o que o esperava depois.

Agora podemos atentar para um detalhe não muito pequeno, teria ele tido a visão de Yeshua ao lado do Eterno se o Messias fosse apenas um homem?

 

Desde que Shaul e Barnabé deixaram a Antioquia da Pisídia, os discípulos continuaram cheios;

Os discípulos continuavam cheios de alegria e do Espírito Santo. Atos 13:52

E assim seguem até os dias de hoje e ainda seguirão até o fim dos tempos.

 

Ser cheio do Ruach haKodesh faz toda diferença na vida de um filho de Deus, isso não é um privilégio de pessoas perfeitas e sem pecados, é algo disponível a qualquer pessoa sincera e de coração aberto para amar a Deus e reconhecer profundamente o ministério e a morte de Yeshua.

Qualquer um que deixe a sua vida aberta para a presença do Ruach é um candidato a ser cheio do seu poder e ser a diferença na vida de muitas pessoas.

Não pense que você é menos do que qualquer um dos personagens citados neste estudo, diante do Eterno vale o seu posicionamento, quem é mais importante? Você, os seus planos e desejos, ou o Criador e a sua vontade?

A sua escolha definirá se será cheio ou não da presença do nosso Deus.

Escrito por

Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Compartilhe:


Leia também:

Yom Kippur

Vai um cookie aí?

Nós utilizamos cookies para aprimorar a sua experiência em nosso site. Ao fechar este banner ou continuar na página, você concorda com o uso de cookies.

Saiba Mais