Homem pensativo em meio a um campo verde olhando para o horizonte ao pôr do sol

Como herdar a vida Eterna

10/07/2022
Por Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Toda vez que paramos para meditar, ou seja, quando nos desligamos do que está à nossa volta e olhamos para nós mesmos de forma introspectiva, surgem muitos questionamentos, todos eles importantes para a nossa existência, mas algumas vezes essa meditação se torna mais profunda e questões relacionadas à nossa existência vem à tona.

Mas, sem dúvida, a mais importante delas diz respeito à nossa existência no pós vida.

O conceito do metafísico, ou seja, daquilo que vai além do físico e adentra o espiritual é inato no ser humano.

Todas as pessoas sabem naturalmente da existência de algo além da nossa matéria, mas enquanto algumas pessoas dão importância ao tema, outros simplesmente preferem abafar o que nos é natural.

Os que preferem não dar importância ao sobrenatural, enfatizam na sua vida somente o que é visível e palpável, sendo que destes encontramos alguns que simplesmente não se importam se há ou não vida espiritual e outros chegam ao ponto de rejeitar o sobrenatural de tal forma que se dizem ateus, ou seja, não creem de forma nenhuma no espiritual e chegam a ser militantes do conceito combatendo os que creem.

Já dentre os que dão importância ao espiritual encontramos os que querem apenas ter benefícios de um relacionamento com a divindade e há os que desejam um relacionamento mais pessoal e íntimo com aquele que sabem ser o seu Criador e buscam com sinceridade a verdade.

Aqueles que querem somente os benefícios de um poder sobrenatural geralmente buscam conhecer as coisas que sejam do seu interesse, por isso são relativamente vulneráveis a qualquer pregação que apresente ofertas de curas, prosperidade ou glória pessoal. Geralmente não são pessoas dadas a muita procura pela verdade, mas gostam de ouvir promessas de vantagens materiais vindas do espiritual. Muitos até se dispõe a sacrifícios pessoais quando veem que o custo\benefício lhes é favorável.

Como exemplo disso encontramos um texto que mostra um indivíduo religioso, mas que o seu interesse é usufruir das benesses espirituais sem se desapegar dos prazeres materiais;

Quando Yeshua ia saindo, um homem correu em sua direção, pôs-se de joelhos diante dele e lhe perguntou: "Bom mestre, que farei para herdar a vida eterna?" Marcos 10:17

À primeira vista essa pessoa demonstrou um interesse legítimo, algo que todas pessoas deveriam valorizar, contudo, na sequência da conversa veio à tona a verdadeira natureza de quem perguntou a Yeshua.

Em um primeiro momento Yeshua respondeu o básico;

Você conhece os mandamentos: ‘não matarás, não adulterarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não enganarás ninguém, honra teu pai e tua mãe’.

E ele declarou: "Mestre, a tudo isso tenho obedecido desde a minha adolescência". Marcos 10:19,20

Quando parecia que a resposta seria o suficiente, como muitas pessoas acham até hoje, o Messias completou;

Yeshua olhou para ele e o amou. "Falta-lhe uma coisa", disse ele. "Vá, venda tudo o que você possui e dê o dinheiro aos pobres, e você terá um tesouro no céu. Depois, venha e siga-me".

Diante disso ele ficou abatido e afastou-se triste, porque tinha muitas riquezas. Marcos 10:21,22

Ainda que existam muitos religiosos no mundo, são poucos os que realmente estão dispostos a fazer qualquer coisa para agradar ao Criador.


Entre os religiosos, poderemos encontrar muitos servindo a deuses diferentes, isso começou ainda nos primórdios da humanidade, e poderíamos até pensar, ‘o que levou essas pessoas a criarem seus deuses se eles sabiam que não eram verdadeiros?’ É uma pergunta difícil de responder.

Aparentemente, para validar esses novos “deuses” criaram religiões que impunham regras e atividades que levavam as pessoas a se sentirem satisfeitas, mesmo que um tanto inseguras, mas pelo menos não estavam dispostas a buscarem a verdade nem precisariam buscar intimidade com os seus deuses, bastava cumprir certas “leis”, fazer certos sacrifícios (alguns até difíceis) que no final eles receberiam o que queriam, proteção, suprimento e fertilidade, era o que eles mais queriam.

Isso tem agradado multidões a milênios, governantes fizeram uso dessas religiões para dominar populações inteiras (alguns ainda o fazem), mas no final, o que eles conseguiram mesmo foi se afastarem do verdadeiro Criador de todas as coisas.


Até nos dias de hoje ainda existem tantas religiões e deuses, que fica difícil uma pessoa saber com certeza qual está de acordo com as verdades espirituais.


Eis aí um grande desafio! Daí entendemos a pergunta que aquele homem fez a Yeshua. Como ele existem muitos.


Então, como ter certeza da salvação?

Os apóstolos sabiam explicar;

E este é o seu mandamento: que creiamos no nome de seu Filho Yeshua o Messias e que nos amemos uns aos outros, como ele nos ordenou.

Os que obedecem aos seus mandamentos permanecem nele, e ele neles. Deste modo sabemos que ele permanece em nós: pelo Espírito que nos deu. 1 João 3:23,24

O mandamento do Eterno é unicamente importante, porque qualquer outro mandamento será humano e não terá nenhuma importância.

Por isso que podemos afirmar que quem não crê em Yeshua está desobedecendo um mandamento basilar e qualquer religioso que desobedecer a esse mandamento será o mesmo que adorar um deus estranho, pois o Eterno não aceitará adoração nem ouvirá a oração de quem o desobedece no mais importante mandamento.

O seu mandamento é constituído de duas partes, crer no Messias e amarmos uns aos outros, não há a possibilidade de se cumprir uma única parte.

Amar ao próximo é mais do que ter empatia com os necessitados, o amor que Yeshua nos mostrou não é somente ajudar os pobres, é amá-los, como também deve ser direcionado aos ricos e poderosos que muitas vezes os perseguem, devemos amá-los da mesma forma, pois todos são carentes do amor do Eterno.

Existem pessoas que olham os pobres como uma obrigação, mas não os amam de fato, acreditam que se derem alimentos ou alguma ajuda já fizeram o que precisa, Yeshua não ensinou que é só isso que deve ser feito, amar é mais do que dar esmolas.

Mas para saber diferenciar corretamente o que deve ser feito, só há uma maneira, o Eterno deve permanecer em nós, o que é confirmado pela presença do Espírito que nos deu.

Aí entra o cumprimento do primeiro mandamento, o nosso relacionamento com o nosso Deus através do conhecimento de que Yeshua é a presença dEle em nós. Rejeitar Yeshua é rejeitar o Eterno pois ambos são um, por isso podemos afirmar que quem quiser ter o Pai sem o Filho não tem ninguém.

Todo o que nega o Filho também não tem o Pai; quem confessa publicamente o Filho tem também o Pai. 1 João 2:23


Ultimamente temos visto de forma mais intensa do que a algumas gerações atrás o questionamento sobre se os mandamentos do Eterno permanecem válidos para todos, até mesmo porque o Eterno diz que obedecer aos seus mandamentos é uma condição essencial para a salvação.

Alguns afirmam que não, Jesus é o fim da Lei, já outros dizem que se deve cumprir tudo, pois quem aceita Yeshua ingressa no corpo judaico da Torá.

Para ambos eu digo, estão errados!

É..., essa minha afirmação pode ter provocado uma descarga de adrenalina em algumas pessoas, mas tenham paciência, vamos às explicações.


Para quem se baseia no texto que diz;

Porque o fim da lei é Cristo, para a justificação de todo o que crê. Romanos 10:4

Entenda que a palavra “fim” (τελος, telos) usada em muitas versões da Bíblia, tem o sentido de objetivo, o alvo, um fim, então entenda como sendo “o objetivo da Torá é o Messias”.


Vamos arrazoar! Eu afirmo que o nosso Deus é perfeito e se Ele é perfeito só faz coisas perfeitas, se Ele só faz coisas perfeitas então o que Ele fez não será desfeito e por ser perfeito o que Ele faz, todas as possibilidades já estão previstas no texto da Torá.

Assim devemos compreender que existem ordenanças diferenciadas para vários tipos de pessoas, existem ordenanças associadas a pactos ou alianças, então é necessário identificar quem faz parte dessa aliança.

Outras ordenanças são destinadas a algum grupo definido, como o dos sacerdotes, outros dos levitas, ordenanças aos reis, a homens e a mulheres.

Uma análise hermenêutica bem feita mostrará que existem ordenanças para os judeus e ordenanças para os gentios.

Contudo, todas as ordenanças são “estatutos perpétuos” definidos pelo Eterno. Por isso Yeshua disse que não veio mudar nem um Yud da Torá.

O que eu observo é que muitos estão com uma visão incompleta da Torá.

Então, há mandamentos para os judeus e mandamentos para todos indistintamente, afirmar que não é assim implica em se fazer uma exegese que prove o contrário.


Desde o princípio o Eterno tem provido a salvação a todas as pessoas. Desde Adam o homem tem sido instruído a buscar no Criador um meio de ser redimido dos seus pecados e Ele planejou tudo com amor e perfeição.

Em Bereshit (Gênesis) vemos que houve uma instrução sobre o sacrifício de derramamento de sangue como propiciação;

Abel, por sua vez, trouxe as partes gordas das primeiras crias do seu rebanho. O Senhor aceitou com agrado Abel e sua oferta, Gênesis 4:4

Talvez Adam não tenha recebido a explicação em detalhes sobre o significado do sacrifício, mas ensinou aos seus filhos e eles passaram para frente.

Foram feitos sacrifícios pelos nossos ancestrais desde Adam, Noach, Avraham até Moshé, e todos sabiam que tinham que derramar sangue de animais para o resgate de suas almas, e também sabiam que os sacrifícios de louvor (holocausto) eram aceitos pelo Eterno como cheiro suave.

Não foram os homens que inventaram os sacrifícios, e nem foi satan, foi o Criador, e mesmo que o adversário tenha deturpado o significado para os pagãos afastados da comunhão divina o que importa é que Ele definiu assim e assim foi.

Essa deturpação foi realmente uma afronta ao Eterno;

Sacrificaram seus filhos e suas filhas aos demônios.

Derramaram sangue inocente, o sangue de seus filhos e filhas sacrificados aos ídolos de Canaã; e a terra foi profanada pelo sangue deles.

Tornaram-se impuros pelos seus atos; prostituíram-se por suas ações. Salmos 106:37-39


Avraham já teve um prenúncio do que significa uma morte substituta neste evento;

"Não toque no rapaz", disse o Anjo. "Não lhe faça nada. Agora sei que você teme a Deus, porque não me negou seu filho, o seu único filho."

Abraão ergueu os olhos e viu um carneiro preso pelos chifres num arbusto. Foi lá, pegou-o e sacrificou-o como holocausto em lugar de seu filho. Gênesis 22:12,13


Recordando, quem estabeleceu o valor do sangue como meio de redenção foi o próprio Criador, pois como foi dito, o sangue é a vida do corpo;

De fato, segundo a Lei, quase todas as coisas são purificadas com sangue, e sem derramamento de sangue não há perdão.

Portanto, era necessário que as cópias das coisas que estão nos céus fossem purificadas com esses sacrifícios, mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios superiores. Hebreus 9:22,23

Sabemos que todas as coisas que Moisés recebeu ordem de fazer pelos artesãos tinham o seu próprio significado, ou seja, eram símbolos que representavam algo da nossa ligação com o divino.


Durante os milênios anteriores à vinda do Messias, quem quisesse ficar em dia com o Eterno, precisava sacrificar um animal para que com o significado do ato de derramar o sangue fosse dado um “crédito” para o futuro sacrifício perfeito feito pelo Messias;

Se pudesse fazê-lo, não deixariam de ser oferecidos? Pois os adoradores, tendo sido purificados uma vez por todas, não mais se sentiriam culpados de seus pecados.

Contudo, esses sacrifícios são uma recordação anual dos pecados, pois é impossível que o sangue de touros e bodes tire pecados. Hebreus 10:2-4

A imperfeição desse tipo de sacrifício era aceito pelo Eterno, mas precisava ser sempre repetido a cada pecado cometido.


As grandes vantagens do sacrifício de Yeshua foram que uma vez feito não precisaria ser refeito, e também não seria feito por um sacerdote levita, portanto é válido em qualquer lugar do planeta, não apenas no altar do templo em Jerusalém;

Pois vocês sabem que não foi por meio de coisas perecíveis como prata ou ouro que vocês foram redimidos da sua maneira vazia de viver que lhes foi transmitida por seus antepassados, mas pelo precioso sangue do Messias, como de um cordeiro sem mancha e sem defeito, conhecido antes da criação do mundo, revelado nestes últimos tempos em favor de vocês. 1 Pedro 1:18-20

Podemos entender que o sacrifício do Messias já estava previsto antes da fundação do mundo e uma vez realizado está estendido a toda a humanidade, sem exceção.


Completando a visão da Torá, o escritor da carta aos Hebreus detalha;

Da mesma forma, como o homem está destinado a morrer uma só vez e depois disso enfrentar o juízo, assim também o Messias foi oferecido em sacrifício uma única vez, para tirar os pecados de muitos; e aparecerá segunda vez, não para tirar o pecado, mas para trazer salvação aos que o aguardam. Hebreus 9:27,28

Disse o autor que o sacrifício único tira o pecado de muitos, não de todos, pois quem não receber Yeshua como oferta perfeita não será justificado.

Também diz que todos os que o aguardam receberão dEle a salvação do juízo final.

O texto também deixa claro que a hipótese da reencarnação não é válida, pois o ser humano só pode morrer uma única vez, deixando de ser material e imaterialmente enfrentará o julgamento de Deus.


Herdar a vida eterna é o grande prêmio que receberá toda a pessoa que dá ouvidos à mensagem do Brit Chadashá, as Boas Novas, e como teremos certeza disso?

O próprio Espírito testemunha ao nosso espírito que somos filhos de Deus. Romanos 8:16

E então complementa;

O Espírito Santo também nos testifica a este respeito. Primeiro ele diz:

"Esta é a aliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor. Porei as minhas leis em seus corações e as escreverei em suas mentes"; e acrescenta: "Dos seus pecados e iniquidades não me lembrarei mais". Hebreus 10:15-17

Quando alguém diz ‘-Eu sou salvo’, não está se vangloriando ou apenas “achando” que está justificado, está declarando o que foi afirmado no seu espírito, pois a certeza que nos é dada pelo Ruach do Eterno é a verdade absoluta.

Se há alguém que pode dizer que é dono da verdade, esse é o Espírito de Deus, e disso não temos a menor dúvida, pois não podemos nos enganar a nós mesmos.


É importante sabermos que estaremos incluídos na lista que João descreveu em;

Todos os habitantes da terra adorarão a besta, a saber, todos aqueles que não tiveram seus nomes escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a criação do mundo. Apocalipse 13:8


Exulte na salvação do nosso Deus, pois não há prêmio maior do que esse!

Escrito por

Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Compartilhe:


Leia também:

Guarda o que tens

Vai um cookie aí?

Nós utilizamos cookies para aprimorar a sua experiência em nosso site. Ao fechar este banner ou continuar na página, você concorda com o uso de cookies.

Saiba Mais