Um livro aberto com textos em hebraico e a borda de um talit cobrindo parte do livro

Carta aos Hebreus - Parte 7

22/10/2022
Por Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Dando sequência ao estudo da carta aos hebreus, começaremos a meditar a partir do capítulo doze;

Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Yeshua, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus. Hebreus 12:1,2

Neste capítulo o autor foca em pontos importantes que devem ser considerados por todos os que valorizam toda a história da Torá.

Temos visto a vida de tantas pessoas que foram usadas pelo Eterno e que foram vitoriosas em suas vidas, que elas nos motivem a assumirmos uma posição firme e irredutível para moldarmos a nossa própria vida, mas olhando para os padrões divinos de ética e moral, não os padrões humanos de projeção do ego na sociedade. Devemos olhar as coisas que nos atrapalham, que são as tentações deste mundo, e abrirmos os olhos para identificarmos o pecado onde ele estiver ao nosso redor.

Nos é proposta uma competição, só irá vencer aquele que perseverar, quem desistir perderá. Não é uma corrida para saber quem chega primeiro, mas sim quem vai até o fim, nesta disputa existe apenas o bloco dos vencedores e o bloco dos perdedores, cada um escolhe onde ficará.

Para vencer é necessário fixar os olhos nas palavras e na pessoa de Yeshua pelo que Ele fez e representa.

É importante entendermos o quanto o nome de Yeshua é valorizado pelos judeus escritores do Brit Chadashá do primeiro Século, e não darmos atenção para aqueles que querem diminuir a sua importância.


Seguindo nesse pensamento;

Pensem bem naquele que suportou tal oposição dos pecadores contra si mesmo, para que vocês não se cansem nem se desanimem. Hebreus 12:3

O exemplo do nível de perseguição que Yeshua suportou deve nos motivar a suportar qualquer coisa. Ele fez isso por nós, agora devemos fazer o mesmo por nós também para valorizar o que nos foi oferecido. Disse por nós porque nossas atitudes e ações não afetam a Ele, mas somente a nós mesmos e se vencermos o Eterno se alegrará, isso é que importa.


A nossa grande batalha é contra o pecado;

Na luta contra o pecado, vocês ainda não resistiram até o ponto de derramar o próprio sangue. Hebreus 12:4

Esse é o nosso maior inimigo, não é satan, não são os opositores à pregação da Torá, não são aqueles que discordam de nós, não é o governo nem as autoridades, são as nossas fraquezas que nos derrotam, são as nossas paixões que nos vencem e é contra elas que lutamos.

E você sabe que nessa luta que você tem travado ainda não derramou sangue para vencer, mas devemos saber que Yeshua já o derramou no nosso lugar.


Devemos entender bem uma coisa;

Vocês se esqueceram da palavra de ânimo que ele lhes dirige como a filhos: "Meu filho, não despreze a disciplina do Senhor, nem se magoe com a sua repreensão, pois o Senhor disciplina a quem ama, e castiga todo aquele a quem aceita como filho".

Suportem as dificuldades, recebendo-as como disciplina; Deus os trata como filhos. Pois, qual o filho que não é disciplinado por seu pai? Hebreus 12:5-7

Devemos acatar a palavra do autor da carta, se esquecemos devemos sempre nos lembrar que toda essa luta que travamos e vamos travar durante toda a nossa vida na terra não é sem propósito, ela é muito útil para nós.

É tão difícil para a nossa mente limitada entender que essa luta desconfortável é boa para nós que não atentamos que a razão humana é totalmente falha diante da sabedoria do Eterno.

Quando aceitamos que estamos sendo fortalecidos com essas lutas fica muito mais fácil encontrarmos forças para resistir.

Disciplina é a obediência ao conjunto de regras e normas que são estabelecidos por determinado grupo. Também pode se referir ao cumprimento de responsabilidades específicas de cada pessoa.

Ao nos disciplinar o Eterno está nos ensinando quais são as suas regras e o que devemos fazer para obedecê-las.


O valor dessa disciplina é tão grande que se não a entendermos perderemos algo muito importante para a nossa existência;

Se vocês não são disciplinados, e a disciplina é para todos os filhos, então vocês não são filhos legítimos, mas sim ilegítimos. Hebreus 12:8

O entendimento desta frase nos leva a imaginarmos que um filho ilegítimo não é educado por um pai presente, pois não moram juntos, mas os filhos legítimos estão sempre aprendendo com o pai. Ainda que essa ilustração não retrate a realidade de muitos, o autor quis ilustrar a verdade de que o filho de Deus terá o privilégio de ser considerado filho legítimo do Eterno e aprenderá diretamente com Ele, mas o que se rebela contra Ele não será educado com a presença do Criador.


Vejamos o que ganhamos com essa disciplina;

Além disso, tínhamos pais humanos que nos disciplinavam, e nós os respeitávamos. Quanto mais devemos submeter-nos ao Pai dos espíritos, para assim vivermos!

Nossos pais nos disciplinavam por curto período, segundo lhes parecia melhor; mas Deus nos disciplina para o nosso bem, para que participemos da sua santidade. Hebreus 12:9,10

A disciplina dos pais já é importante, quanto mais a que vem do alto!

A disciplina do Eterno tem um conteúdo distinto que além de nos preparar para uma sadia vida na sociedade ela nos prepara para uma existência no Reino do Criador que é muito diferente do que conhecemos.


É certo que a disciplina é desconfortável tal como um remédio amargo, mas os resultados compensam;

Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados.

Portanto, fortaleçam as mãos enfraquecidas e os joelhos vacilantes. Hebreus 12:11,12

O prêmio recebido pelos disciplinados é tão maravilhoso que certamente nenhum dos filhos do Eterno lamentará o tempo do preparo.


Durante o nosso preparo somos orientados a ajudar os outros na mesma disciplina;

"Façam caminhos retos para os seus pés", para que o manco não se desvie, mas antes seja curado. Hebreus 12:13

Se andarmos em um caminho reto seremos referência para quem quiser seguir o mesmo caminho.


Estas palavras são de vida para nós;

Esforcem-se para viver em paz com todos e para serem santos; sem santidade ninguém verá o Senhor. Hebreus 12:14

O autor entendeu corretamente que deve partir de nós o desejo de sempre termos paz com todos, mesmo que não haja reciprocidade no intento não importa, devemos sempre buscar a paz.

Yeshua nos orientou sobre isso;

Bem-aventurados os que promovem a paz, pois serão chamados filhos de Deus. Mateus 5:9

Esse desejo pela paz é fruto de uma vida em santificação, ou seja, devemos viver em constante processo de separação da nossa identidade em relação a este mundo materialista e rebelde.


A disciplina é tão importante, que na sua ausência grandes problemas podem ocorrer;

Cuidem que ninguém se exclua da graça de Deus. Que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando a muitos.

Não haja nenhum imoral ou profano, como Esaú, que por uma única refeição vendeu os seus direitos de herança como filho mais velho.

Como vocês sabem, posteriormente, quando quis herdar a bênção, foi rejeitado; e não teve como alterar a sua decisão, embora buscasse a bênção com lágrimas. Hebreus 12:15-17

Devemos laborar no sentido de evitarmos que pessoas se distanciem da disciplina, mas quando isso ocorre devemos agir para minimizar os seus efeitos, pois são graves.

Eventualmente surgem pessoas que amargam sentimentos de ressentimento e amargura, o grande problema é essas pessoas tendem a contaminar outros com suas lamúrias e reclamações. Se os ouvintes forem disciplinados eles não darão ouvidos aos queixosos, mas os fracos podem ser contaminados com a escuridão alheia.

Alguns se vendem por ninharias e perdem fortunas.


É interessante a associação feita pelo autor sobre a nossa condição atual;

Vocês não chegaram ao monte que se podia tocar, e que estava chamas, nem às trevas, à escuridão e à tempestade, ao soar da trombeta e ao som de palavras tais, que os ouvintes rogaram que nada mais lhes fosse dito; pois não podiam suportar o que lhes estava sendo ordenado: "Até um animal, se tocar no monte, deve ser apedrejado".

O espetáculo era tão terrível que até Moisés disse: "Estou apavorado e trêmulo! "

Mas vocês chegaram ao monte Sião, à Jerusalém celestial, à cidade do Deus vivo. Chegaram aos milhares de milhares de anjos em alegre reunião, à comunidade dos primogênitos, cujos nomes estão escritos nos céus. Vocês chegaram a Deus, juiz de todos os homens, aos espíritos dos justos aperfeiçoados, a Yeshua, mediador de uma nova aliança, e ao sangue aspergido, que fala melhor do que o sangue de Abel. Hebreus 12:18-24

Não estivemos diante do monte onde Moisés subiu e a manifestação da glória do Eterno foi tal que todos ficaram amedrontados porque essa presença divina os acusava de seus pecados, mas estamos diante do monte Sião, lugar associado à Jerusalém a cidade escolhida como cidade de David, que nos remete à Jerusalém celestial, todo o comentário tenta mostrar que a nossa experiência é bem diferente dos israelitas no Sinai, pois não tememos a presença divina, antes nos aproximamos do Eterno em alegria e júbilo, com a convicção do significado do derramamento do sangue do justo Messias que nos fala tão alto.


Com maior privilégio, maior é a responsabilidade;

Cuidado! Não rejeitem aquele que fala. Se os que se recusaram a ouvir aquele que os advertia na terra não escaparam, quanto mais nós, se nos desviarmos daquele que nos adverte dos céus?

Aquele cuja voz outrora abalou a terra, agora promete: "Ainda uma vez abalarei não apenas a terra, mas também o céu". Hebreus 12:25,26

Os hebreus viram os sinais vindos do cume do monte Sinai e mesmo assim acabaram falhando na sua confiança e foram excluídos da existência como filhos do Eterno, mais ainda se confirma que aqueles que conheceram o Criador convencidos pelo Ruach haKodesh serão mais cobrados se o deixarem.

A nossa geração ainda não viu os abalos feitos de forma milagrosa sobre a natureza como muitos antigos viram, abalos que fazem os homens tremerem, mas breve isso será uma nova realidade neste mundo.


Esse abalo será também o último;

As palavras "ainda uma vez" indicam a remoção do que pode ser abalado, isto é, coisas criadas, de forma que permaneça o que não pode ser abalado.

Portanto, já que estamos recebendo um Reino inabalável, sejamos agradecidos e, assim, adoremos a Deus de modo aceitável, com reverência e temor, pois o nosso "Deus é fogo consumidor! " Hebreus 12:27-29

Esse último abalo fará a separação entre o que pode ser abalado e o que permanece intacto, tudo neste mundo, desde a natureza até a humanidade serão varridos da existência como a conhecemos, mas não serão abalados os filhos do Eterno por serem seguros por sua confiança e recebidos pela mão do Criador, nos tornaremos cidadãos do Reino inabalável e eterno, onde usufruiremos da presença constante do próprio Deus, que antes só havia mostrado um pouco da sua glória momentaneamente diante dos homens.


Agora vamos para o último capítulo desta carta, o capítulo 13;

Seja constante na amizade fraterna.

Não se esqueçam da hospitalidade; foi praticando-a que, sem o saber alguns acolheram anjos. Hebreus 13:1,2

A recomendação agora é para valorizarmos muito a amizade, principalmente entre os irmãos, e darmos atenção a estender a amizade aos de fora, pois existe a possibilidade de recebermos enviados do Eterno, se não em nossa casa, pelo menos na congregação.


A responsabilidade da comunidade deve se estender além de suas portas;

Lembrem-se dos que estão na prisão, como se aprisionados com eles; dos que estão sendo maltratados, como se fossem vocês mesmos que o estivessem sofrendo no corpo. Hebreus 13:3

Sabemos que no tempo dos primeiros séculos a quantidade de irmãos que eram presos por sua fé era bem grande e era importante a comunidade não os desamparar, mas também é adequado entendermos que os demais presos, mesmo que merecidamente por terem cometido crimes, precisam ter a oportunidade de conhecer a salvação em Yeshua, pois mesmo que isso não os liberte da cadeia, pelo menos serão libertos do pecado.


O conceito do mundo nunca deve moldar o padrão divino;

O casamento deve ser honrado por todos; o leito conjugal, conservado puro; pois Deus julgará os imorais e os adúlteros. Hebreus 13:4

Os filhos de Deus não podem nunca mudar o que é a ordem do Eterno, sabemos que o adversário tenta implantar o entendimento torcido de que o homem deve ser livre para fazer o que quiser e que cada um escolhe a sua opção sexual e até o gênero. Quem acatar essa tentação é bom saber que irá prestar contas no dia do juízo e será condenado, quer creia quer não.


Continuando com suas observações, diz o escritor;

Conservem-se livres do amor ao dinheiro e contentem-se com o que vocês têm, porque Deus mesmo disse: "Nunca o deixarei, nunca o abandonarei". Hebreus 13:5

O dinheiro é necessário para a nossa sobrevivência hoje em dia, somos dependentes dele para vivermos na nossa sociedade, mas quando o acúmulo de dígitos se torna uma obsessão a idolatria toma conta da vida de uma pessoa.

Se alguém não tem o suficiente para o seu sustento e da família então deverá se empenhar, e com grande esforço deve galgar um melhor ganho, sem esquecer de que as portas se abrem quando Deus as abre, mas quando o que recebemos já é o suficiente para não termos motivo para reclamar das necessidades básicas, então saibamos que o Eterno realmente abriu as portas e Ele nos sustenta todo o tempo. Ambições doentias podem se tornar verdadeiras maldições espirituais.


Uma confiança sadia nos permite dizer;

Podemos, pois, dizer com confiança: "O Senhor é o meu ajudador, não temerei. O que me podem fazer os homens?" Hebreus 13:6

Somente quem conhece o Eterno pode se sentir seguro dessa forma.


De geração em geração o Eterno levanta pessoas para serem usadas na liderança;

Lembrem-se dos seus líderes, que lhes falaram a palavra de Deus. Observem bem o resultado da vida que tiveram e imitem a sua fé. Hebreus 13:7

Tanto quanto os heróis da fé que estudamos no início deste estudo, que vimos que mesmo imperfeitos foram usados pelo Eterno, não procurem os defeitos dos seus líderes, mas as experiências positivas que podem ajudar na sua vida espiritual.


A segurança messiânica é um assunto pétreo;

Yeshua o Messias é o mesmo, ontem, hoje e para sempre.

Não se deixem levar pelos diversos ensinos estranhos. É bom que o nosso coração seja fortalecido pela graça, e não por alimentos cerimoniais, os quais não têm valor para aqueles que os comem. Hebreus 13:8-9

Yeshua não muda nunca, ou seja, as suas palavras são as mesmas que foram ensinadas pelos apóstolos, portanto devemos tomar muito cuidado quando alguém nos traz ensinos revolucionários diferentes do que é ensinado no Brit Chadashá.

O autor deixa claro que a nossa alma é fortalecida pela graça, ou seja, as bênçãos trazidas pelo Messias, e não por comermos algo cerimonialmente, ou mesmo atos religiosos, que nada fazem pelo nosso espírito como alguns apregoam.


Sobre a oferta pelo pecado;

Nós temos um altar do qual não têm direito de comer os que ministram no tabernáculo.

O sumo sacerdote leva sangue de animais até o Santo dos Santos, como oferta pelo pecado, mas os corpos dos animais são queimados fora do acampamento. Hebreus 13:10,11

Quando o autor escreveu esta carta o templo ainda estava em pleno funcionamento, e ele soube fazer algumas analogias sobre o seu funcionamento.


O Messias ofereceu-se a si mesmo como oferta viva;

Assim, Yeshua também sofreu fora das portas da cidade, para santificar o povo por meio do seu próprio sangue.

Portanto, saiamos até ele, fora do acampamento, suportando a desonra que ele suportou. Hebreus 13:12,13

Como o sangue de Yeshua foi vertido diante do Eterno, não precisava ser no templo, mas o seu corpo foi retirado do madeiro, ressuscitou e subiu aos céus à semelhança da fumaça dos animais queimados.


Tanto o templo construído aqui, como qualquer cidade feita por mãos humanas perdem o seu valor para nós;

Pois não temos aqui nenhuma cidade permanente, mas buscamos a que há de vir.

Por meio de Yeshua, portanto, ofereçamos continuamente a Deus um sacrifício de louvor, que é fruto de lábios que confessam o seu nome. Hebreus 13:14,15

Nem sequer a Jerusalém terrena é tão valiosa quanto o reino que habitaremos, e tudo o que é feito tradicionalmente perde a razão de ser, uma vez que o legítimo louvor não é o que ouvimos de gravações de outras pessoas, mas é aquele que sai da nossa alma, passa pela nossa boca e vai até a presença do Criador.

Portanto, adore e louve o seu Deus, nunca fique calado na presença do Altíssimo!


Se existe um paradigma que o mundo espera dos filhos de Deus, é este;

Não se esqueçam de fazer o bem e de repartir com os outros o que vocês têm, pois de tais sacrifícios Deus se agrada. Hebreus 13:16

Fazer o bem é algo natural do que é nascido de novo. Apesar de existirem pessoas seculares que até façam o bem, isso não lhes garante que agradem ao Eterno se os seus pecados não forem resolvidos pelo sacrifício de Yeshua, mas os filhos de Deus todos devem fazer o bem.


Sobre a liderança religiosa humana, temos uma recomendação;

Obedeçam aos seus líderes e submetam-se à autoridade deles. Eles cuidam de vocês como quem deve prestar contas. Obedeçam-lhes, para que o trabalho deles seja uma alegria e não um peso, pois isso não seria proveitoso para vocês. Hebreus 13:17

Algumas pessoas tem sido levantadas pelo Eterno para que através delas Ele exerça a sua autoridade.

Aqueles que são realmente os fiéis escolhidos serão humildes diante do Criador, e mesmo que tenham ainda fraquezas serão úteis, mas aqueles que querem usurpar a autoridade que deve vir do alto serão tropeços na vida de todos que os seguirem.

Assim, cada um deve escolher quem aceita que seja o seu líder, e uma vez feita a escolha devem cumprir o recomendado, sabendo que daquele que mais recebe do Eterno, maior será a cobrança e se os seus liderados não ajudarem o peso será enorme, reduzindo a capacidade do líder de cumprir o que foi colocado em sua mão.


Percebe-se que o autor tinha alguma liderança em algum local não definido no texto, e que permeava entre os líderes messiânicos do seu tempo;

Orem por nós. Estamos certos de que temos consciência limpa, e desejamos viver de maneira honrosa em tudo.

Particularmente recomendo-lhes que orem para que eu lhes seja restituído em breve. Hebreus 13:18,19

Desconhecemos os detalhes da solicitação.


Muitos estranham a linguagem usada pelos messiânicos do Brit Chadashá e a julgam muito “cristã”;

O Deus da paz, que pelo sangue da aliança eterna trouxe de volta dentre os mortos a nosso Senhor Yeshua, o grande Pastor das ovelhas, os aperfeiçoe em todo o bem para fazerem a vontade dele, e opere em nós o que lhe é agradável, mediante Yeshua o Messias, a quem seja a glória para todo o sempre. Amém. Hebreus 13:20,21

Existem algumas pessoas que valorizam o que entendem ser a linguagem judaica ou linguagem da Torá em detrimento de uma linguagem chamada cristã, mas essas pessoas não entendem que muito dessa linguagem é baseada naquilo que os judeus messiânicos do primeiro Século falavam.

A valorização do nome de Yeshua, como referência ao personagem fica nítida na literatura apostólica, não a uma alegação de poder místico do nome, mas ao fato desse nome estar associado àquele que fez tudo acontecer conforme o plano divino.


É evidente que apenas uma carta não pode conter todo o entendimento da Torá;

Irmãos, peço-lhes que suportem a minha palavra de exortação; na verdade o que eu lhes escrevi é pouco. Hebreus 13:22

Por isso é que precisamos conhecer toda literatura da Torá, pois o Ruach nos fará saber tudo o que é necessário.


Por conviver com o meio apostólico, fica evidente que o autor estava informado de fatos que envolviam os nomes mais conhecidos do seu tempo;

Quero que saibam que o nosso irmão Timóteo foi posto em liberdade. Se ele chegar logo, irei vê-los com ele. Hebreus 13:23

Alguns podem pensar que a citação de Timóteo garante que o autor era Paulo, mas devemos entender que Timóteo não era vinculado apenas a Shaul, ele circulava nas comunidades messiânicas por si mesmo.


Termina agora com a despedida;

Saúdem a todos os seus líderes e a todos os santos. Os da Itália lhes enviam saudações.

A graça seja com todos vocês. Hebreus 13:24,25

Esse líder provavelmente estava em Roma escrevendo provavelmente para a comunidade de Jerusalém, de onde era natural.


Contudo, esses detalhes técnicos são menos importantes do que o seu conteúdo, que levantam pontos muito importantes para as nossas considerações.


Esta é a sétima e última parte do estudo da carta aos judeus messiânicos.

Escrito por

Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Compartilhe:


Leia também:

O pecado do mundo

Vai um cookie aí?

Nós utilizamos cookies para aprimorar a sua experiência em nosso site. Ao fechar este banner ou continuar na página, você concorda com o uso de cookies.

Saiba Mais