Um livro aberto com textos em hebraico e a borda de um talit cobrindo parte do livro

Carta aos Hebreus - Parte 3

03/09/2022
Por Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Dando sequência ao estudo da carta aos hebreus, começaremos a meditar a partir do capítulo cinco;

Todo sumo sacerdote é escolhido dentre os homens e designado para representá-los em questões relacionadas com Deus e apresentar ofertas e sacrifícios pelos pecados.

Ele é capaz de se compadecer dos que não têm conhecimento e se desviam, visto que ele próprio está sujeito à fraqueza.

Por isso ele precisa oferecer sacrifícios por seus próprios pecados, bem como pelos pecados do povo.

Ninguém toma esta honra para si mesmo, mas deve ser chamado por Deus, como de fato o foi Arão. Hebreus 5:1-4

É um entendimento que realmente devemos ter, todo líder religioso é escolhido entre os homens para ser um mediador espiritual, um homem que atua para ajudar nas fraquezas humanas, mas sendo ele mesmo humano continua propenso a falhar por mais dedicado que seja, e mesmo sabendo que foi o Eterno quem o chamou.

Não temos mais um sumo sacerdote no templo em Jerusalém, mas um líder religioso exerce a função sacerdotal similar em muitos aspectos, portanto o critério de chamado divino ainda é fundamental, pois aqueles que querem tomar a honra para si mesmos falham fragorosamente.


Desta forma não é difícil entender que o nosso Messias é um sacerdote legítimo;

Da mesma forma, o Messias não tomou para si a glória de se tornar sumo sacerdote, mas Deus lhe disse: "Tu és meu Filho; eu hoje te gerei".

E diz noutro lugar: "Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque". Hebreus 5:5,6

Para a nossa compreensão, podemos ter a imagem de Yeshua como o corpo mortal do Messias sendo gerado como homem designado a assumir um sacerdócio especial, distinto da linhagem de Arão, mas escolhido para exercer a ligação perfeita entre o ser humano e o seu Criador, por determinação daquele que tem toda a autoridade nos céus e na Terra.


A explicação não poderia ser mais clara;

Durante os seus dias de vida na terra, Yeshua ofereceu orações e súplicas, em alta voz e com lágrimas, àquele que o podia salvar da morte, sendo ouvido por causa da sua reverente submissão.

Embora sendo Filho, ele aprendeu a obedecer por meio daquilo que sofreu; e, uma vez aperfeiçoado, tornou-se a fonte de eterna salvação para todos os que lhe obedecem, sendo designado por Deus sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque. Hebreus 5:7-10

O Messias diminuiu a si mesmo tornando-se humano, se subordinou ao plano de salvação para a humanidade e assumiu um sacerdócio inigualável.


Como foi dito antes, não sabemos quem foi o autor da carta, mas certamente sabia o que era subordinar-se à revelação sobrenatural do Ruach haKodesh, o aprofundamento na compreensão das coisas divinas não depende somente da capacidade intelectual de uma pessoa;

Quanto a isso, temos muito que dizer, coisas difíceis de explicar, porque vocês se tornaram lentos para aprender.

De fato, embora a esta altura já devessem ser mestres, vocês precisam de alguém que lhes ensine novamente os princípios elementares da palavra de Deus. Estão precisando de leite, e não de alimento sólido! Hebreus 5:11,12

Alguém poderia até pensar que o escritor era uma pessoa arrogante, mas não é o caso, ele está ensinando a verdade.

A maioria dos hebreus do seu tempo tinham alguma dificuldade para aceitar os esclarecimentos profundos, porque já estavam engessados pela tradição e ensinos da sua época, coisa que podemos ver até os dias de hoje, o próprio shaliach Shaul entendeu que precisava deixar de lado tudo o que tinha aprendido do judaísmo contemporâneo seu, depois que Ananias orou e as escamas caíram dos seus olhos, ele precisou reaprender a Torá com a visão do Espírito do Eterno, e não a visão dos filósofos judeus que foram os seus mestres.

Em teoria, o contato com a Torá durante gerações já deveria ter levado os hebreus a uma compreensão maior, mas a natureza humana é realmente falha.

O importante aqui é que mesmo que se comece o aprendizado sobre o Eterno com leite, depois será possível comer coisas com mais sustância.


O amadurecimento do espírito mostra que ainda que o corpo pareça velho, o espírito pode se comportar como criança, só que pode amadurecer mais rápido do que o próprio corpo;

Quem se alimenta de leite ainda é criança, e não tem experiência no ensino da justiça.

Mas o alimento sólido é para os adultos, os quais, pelo exercício constante, tornaram-se aptos para discernir tanto o bem quanto o mal. Hebreus 5:13,14

O escritor disse que certas revelações são difíceis de explicar, pois algumas coisas que o Espírito ensina ficam fáceis de entender para quem recebe, mas as palavras nos faltam quando tentamos transmitir aos outros, pois não são coisas materiais, são transcendentes e não compreensíveis pelos caminhos naturais.

A lógica humana falha se não considerar a lógica divina.


Vamos para o capítulo seis;

Portanto, deixemos os ensinos elementares a respeito do Messias e avancemos para a maturidade, sem lançar novamente o fundamento do arrependimento de atos que conduzem à morte, da fé em Deus, da instrução a respeito de batismos, da imposição de mãos, da ressurreição dos mortos e do juízo eterno.

Assim faremos, se Deus o permitir. Hebreus 6:1-3

O conhecimento básico a respeito do Messias já nos dá sustentação para herdarmos a vida eterna, então, se a base já está feita não há necessidade de reforça-la, para quem já entendeu o que significa se arrepender, já sabe que o Eterno é real, entendeu o compromisso com Deus e já sabe sobre o futuro glorioso que nos espera, só falta avançar para a maturidade. Esse foi o compromisso assumido pelo autor da carta, levar novos ensinos para que avancem para o amadurecimento.


Só mesmo o Espírito do Eterno para nos fazer entender sobre a grande responsabilidade que temos com as nossas escolhas no tocante à salvação conquistada por Yeshua ao dar a sua vida por nós;

Ora para aqueles que uma vez foram iluminados, provaram o dom celestial, tornaram-se participantes do Espírito Santo, experimentaram a bondade da palavra de Deus e os poderes da era que há de vir, e caíram, é impossível que sejam reconduzidos ao arrependimento; pois para si mesmos estão crucificando de novo o Filho de Deus, sujeitando-o à desonra pública. Hebreus 6:4-6

A nossa vida está repleta de escolhas, algumas boas e algumas erradas, mas elas sempre são levadas a sério.

No tocante às escolhas feitas para com o Criador, elas são revestidas do máximo de compromisso a ponto de podermos dizer que uma única escolha define sobre a vida eterna ou a condenação eterna.

Assim, uma pessoa que em um primeiro momento deu ouvidos ao Espírito de Deus escolhendo a fidelidade ao Eterno, e assim usufruiu dos benefícios associados a isso, mas que por algum motivo desistiu de tudo rejeitando o sacrifício do Messias e a comunhão com o Eterno, acabou fazendo uma escolha que resulta na perda da única oportunidade que lhe foi dada quando foi convencida pelo Ruach do seu pecado que gerou arrependimento e perdão, mas se isso foi conscientemente rejeitado posteriormente, não haverá um segundo convencimento do Espírito para essa pessoa, pois o sacrifício feito por Yeshua foi um só para cada pecador na Terra.

Os filhos de Deus podem até escorregar e pecar durante a sua vida, mas se arrependem e alcançam perdão porque não desistem do amor do Eterno, mas quem desiste afasta o Ruach da sua vida e nunca mais se arrependerá dos pecados, consequentemente não será perdoado e terá o seu nome riscado do Livro da Vida. Assim eu ouso afirmar, uma pessoa não perde a salvação por um descuido, mas pode joga-la fora se rejeitar Yeshua e a sua salvação.

Me entristece muito ver pessoas que dizem que já creram em Yeshua como Messias, Filho de Deus e oferta pelo pecado, mas por influência de falsos messiânicos focados em tradições judaicas e interpretações rabínicas, mas agora não mais creem naquele que derramou o seu sangue para perdoar os seus pecados e caem em maldição permanente.


O fim desses será pior do que os que nunca creram;

Pois a terra que absorve a chuva, que cai frequentemente e dá colheita proveitosa àqueles que a cultivam, recebe a bênção de Deus.

Mas a terra que produz espinhos e ervas daninhas, é inútil e logo será amaldiçoada. Seu fim é ser queimada.

Amados, mesmo falando dessa forma, estamos convictos de coisas melhores em relação a vocês, coisas próprias da salvação. Hebreus 6:7-9

Os apóstatas receberão tudo o que está descrito sobre os que forem reprovados.

Já sobre os que não desistem, estão garantidas as “coisas próprias da salvação”, que só os salvos sabem o que é.


Agora uma verdade reiterada;

Deus não é injusto; ele não se esquecerá do trabalho de vocês e do amor que demonstraram por ele, pois ajudaram os santos e continuam a ajudá-los.

Queremos que cada um de vocês mostre essa mesma prontidão até o fim, para que tenham a plena certeza da esperança, de modo que vocês não se tornem negligentes, mas imitem aqueles que, por meio da fé e da paciência, recebem a herança prometida. Hebreus 6:10-12

Temos lutado e continuaremos a lutar até o fim da nossa existência contra tudo o que deseja nos afastar da salvação do nosso Deus, mas tudo será levado em conta pela justiça do nosso Criador, tanto durante a nossa vida aqui, como também receberemos a premiação da vida no porvir.


Temos motivos de sobra para confiarmos plenamente nas promessas;

Quando Deus fez a sua promessa a Abraão, por não haver ninguém superior por quem jurar, jurou por si mesmo, dizendo: "Esteja certo de que o abençoarei e farei seus descendentes numerosos".

E foi assim que, depois de esperar pacientemente, Abraão alcançou a promessa. Hebreus 6:13-15

Se pacientemente listarmos as promessas do Eterno registradas na Torá e ainda as somarmos às que eventualmente possam ter sido feitas particularmente para alguém, podemos saber que mesmo sendo uma lista imensa, tudo se cumprirá, pois quem prometeu é inteiramente confiável e capaz de cumprir.


Assim é confirmado;

Os homens juram por alguém superior a si mesmos, e o juramento confirma o que foi dito, pondo fim a toda discussão.

Querendo mostrar de forma bem clara a natureza imutável do seu propósito para com os herdeiros da promessa, Deus o confirmou com juramento, para que, por meio de duas coisas imutáveis nas quais é impossível que Deus minta, sejamos firmemente encorajados, nós, que nos refugiamos nele para tomar posse da esperança a nós proposta. Hebreus 6:16-18

Esperança é a certeza que somente um filho de Deus pode ter, pois sabe da verdade acima de toda verdade que o mundo possa crer.


Para confirmar todas estas coisas, o escritor acrescenta;

Temos esta esperança como âncora da alma, firme e segura, a qual adentra o santuário interior, por trás do véu, onde Yeshua, que nos precedeu, entrou em nosso lugar, tornando-se sumo sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque. Hebreus 6:19,20

Ter a esperança como âncora da alma é uma analogia interessante. Se um barco estacionado próximo à costa não estiver ancorado, qualquer vento o levará, ou em direção à terra e poderá ser destruído nas pedras, ou para o alto mar onde ficará à deriva perdido onde acabará naufragando.

Assim é o homem sem a âncora da alma, qualquer vento de doutrina o arrasta para a destruição.


Esta é a terceira parte do estudo da carta aos judeus messiânicos, acompanhem a próxima parte.

Escrito por

Rosh Gilberto Branco

Tempo de leitura: minutos


Compartilhe:


Leia também:

Ser Santo "Kadosh"

Vai um cookie aí?

Nós utilizamos cookies para aprimorar a sua experiência em nosso site. Ao fechar este banner ou continuar na página, você concorda com o uso de cookies.

Saiba Mais